in

Ajuda à ONG, doações de alimentos e compra de oxigênio: Marília Mendonça praticava filantropia e pedia sigilo

A cantora faleceu no último dia 5 de novembro após um grave acidente aéreo em Minas Gerais.

Razões Para Acreditar | Divulgação

A cantora Marília Mendonça faleceu no início deste mês de novembro deixando diversos fãs órfãos de sua voz. Após a partida precoce da cantora aos 26 anos, muitos depoimentos sobre o lado caridoso da artista passaram a surgir. Marília ajudava diversas instituições de caridade e não gostava que as ações viessem à público.

Publicidade

De acordo com o site Isto É, a sertaneja ajudou a organização antirracista “Pretitudes”, que fez questão de homenagear a artista e falar sobre a ajuda que recebeu. A organização ressaltou as qualidades de Marília através das redes sociais e afirmou que a cantora nunca quis que a ajuda fosse divulgada, pedindo sigilo e discrição.

Os momentos de solidariedade de Marília Mendonça não pararam por aí. Durante a pandemia causada pela Covid-19, a cantora realizou lives beneficentes arrecadando mantimentos para pessoas em vulnerabilidade. Ainda em meio à pandemia, a sertaneja tomou outra atitude louvável.

Publicidade

Em meio à falta de oxigênio em Manaus, inúmeros pacientes estavam vindo à óbito sem receberem tratamento. Marília mobilizou sua equipe para providenciar que tanques de oxigênio chegassem aos hospitais em tempo hábil, salvando a vida de inúmeras pessoas. A cantora chegou a vender um jatinho particular em meio à pandemia para conseguir manter os salários de seus colaboradores.

Publicidade

Marília era considerada pelos fãs e admiradores uma artista do povo, que se comportava como uma pessoa sem fama e dinheiro. Nas redes sociais, a cantora interagia de forma frequente com seus seguidores.

Publicidade
Publicidade