in

‘Poderia ir ao show, tirar uma foto com ela’, lamenta bombeiro que resgatou corpo de Marília Mendonça

Em desabafo feito após o resgate de Marília Mendonça, bombeiro comentou as sensações que sentiu.

(Reprodução/Instagram/Fotomontagem/Mateus Guimarães)

A morte de Marília Mendonça está prestes a completar uma semana. Vítima de um trágico acidente aéreo na tarde do dia 5 de novembro, a sertaneja deixou, aos 26 anos, uma carreira no auge e uma legião de fãs. Um dos fãs, inclusive, participou ativamente do resgate da cantora dos destroços da aeronave, que caiu na região do Vale do Rio Doce, em Caratinga, Minas Gerais.

Publicidade

Johnn Lenon, bombeiro militar que participou ativamente do resgate à cantora, contou nas redes sociais que estava pronto para ir no show da cantora na cidade mineira, mas acabou encontrando a sua ídola nos destroços de um avião bimotor que caiu em uma cachoeira.

https://www.instagram.com/p/CV_ZWcVPkgD/

Publicidade

Bombeiro desabafa e conta detalhes do resgate ao corpo de Marília Mendonça

Johnn Lenon concedeu uma entrevista exclusiva ao G1, na qual detalhou o que viu e o que sentiu ao chegar no local do resgate. Lamentando a morte da cantora, ele conta que, a todo momento, desejava que não fosse a mesma. O bombeiro contou que caiu a ficha assim que viu o rosto da sertaneja. “Agora não tem como falar que não é ela”, relata.

Publicidade

Fã assíduo da sertaneja, Johnn conta que a cantora fazia parte do seu dia a dia em qualquer atividade. O bombeiro relata que sempre que fazia algo em casa colocava a música da sertaneja para tocar no rádio. 

Publicidade

De acordo com ele, a ficha demorou a cair, pois ele estava com tudo pronto para ir com a esposa ao show que aconteceria em Caratinga. O misto de sensações foi complexo, segundo ele, classificando-as como as que mais o arrasaram nos seus longos anos de serviço como bombeiro. “Eu senti um perfume bom que não vai sair da minha cabeça. Eu poderia ir ao show, tirar uma foto com ela e sentir o mesmo perfume, mas sentir ali, daquela forma, é uma situação que provavelmente não vai sair da cabeça”, conta, em tom de lamento.

Publicidade