in

Polícia vai para porta da sede de ‘A Fazenda’ por suposto estupro de Nego do Borel e Record toma atitude

O cantor está sofrendo uma grave acusação sobre suas ações durante essa madrugada no reality.

Créditos: RECORD - IMAGEM ILUSTRATIVA - MONTAGEM JEAN MARANGONI

Uma denúncia grave foi feita através de imagens e áudios da última madrugada no reality show “A Fazenda” da RecordTV. A participante Dayane Mello, visivelmente bêbada, se deitou com o funkeiro Nego do Borel.

Publicidade

Não foi possível ver o edredom se mexendo, pois a cama que estavam saiu do foco da câmera, mas foi possível ouvir a peoa sussurrando e pedindo para que o cantor parasse. Tudo isso aconteceu após a produção do programa apagar todas as luzes.

Rapidamente, internautas passaram a utilizar as redes sociais para atacar o funkeiro dizendo que o que aconteceu durante a madrugada pode ser considerado como estupro. A assessoria de Dayane Mello se revoltou com as cenas e informou pelo Twitter que seus advogados estão na porta da sede do reality com a polícia.

Publicidade

A equipe que cuida da carreira da peoa informou que tanto os advogados quanto a polícia estão tentando contato com o jurídico e as autoridades para que possam dar continuidade na investigação do caso. Segundo eles, a produção do programa está dificultando a averiguação dos fatos.

Publicidade

De acordo com outro tweet da equipe de Dayane, a polícia precisa entrar na sede para que as provas sejam colhidas, como roupas e preservativos que possam ter sido usados na prática do suposto ato não consentido.

Publicidade

Devido à gravidade dos fatos, a RecordTV também resolveu se pronunciar e soltou uma nota informando que os fatos estão sendo apurados por uma equipe multidisciplinar que está analisando o ocorrido e que declarou que irão se pronunciar ao vivo no programa deste sábado.

O desfecho dessa história deve acontecer no final da noite, ou mais cedo, caso a polícia consiga entrar na sede do reality.

Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com