in

Disco cancelado, operação da PF e internação; últimos dias de Sérgio Reis foram de partir o coração

Após áudio vazado, a vida do cantor parece ter virado de cabeça para baixo.

REPRODUÇÃO/RECORD

O cantor Sérgio Reis teve sua vida virada de cabeça para baixo após um áudio seu ter sido vazado. No áudio, o artista declara que ele, ao lado de manifestantes que são a favor do presidente Bolsonaro, irão invadir o STF e tirar os ministros na marra, se esses não saírem por outras vias em no máximo 30 dias.

Publicidade

O áudio passou a ser visto como uma ameaça a democracia e incitação à violência, levando o cantor a ser investigado pela polícia federal. Em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini, o artista se disse arrependido pelas palavras e pediu desculpas pelo áudio, mas se manteve a favor das manifestações.

Artisticamente, Sérgio Reis planejava o lançamento de um disco com diversas parcerias com outros artistas. Logo que começou a polêmica em torno de seu áudio, vários desses artistas desistiram de participar do álbum que já está gravado. Nomes importantes da música brasileira, como Zé Ramalho, Guilherme Arantes e Maria Rita, proibiram o artista de lançar as músicas em que eles aparecem. Somente Paula Fernandes autorizou Sérgio Reis a dar prosseguimento ao material gravado por ela.

Publicidade

Publicidade

Dessa forma, o filho de Sérgio Reis, Marco Bavini, se disse triste e anunciou que o disco foi cancelado após 5 anos de gravações de todo o material.

Publicidade

Após todas as críticas que recebeu nos últimos dias, Sérgio Reis acabou sendo internado na última terça-feira no Albert Einstein. O artista deu entrada no hospital com prostatite, uma inflamação na próstata, que segundo os médicos, esse quadro pode ter conexão com o estresse vivido pelo cantor. De acordo com o amigo e apresentador Geraldo Luís, ele está bem e voltará para casa em breve.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com