in

Manicure acusada por engano de sequestrar Patrícia Abravanel lançará livro sobre o caso

A manicure Josiene Santos lançará um livro sobre o sequestro de Patrícia Abravanel: ‘Sílvio Santos na mira do meu 38’

Reprodução/Metrópoles

Em 2001, Patrícia Abravanel foi sequestrada e o apresentador Sílvio Santos foi mantido como refém em sua casa. Na época, Josiene Santos Batista foi considerada como suspeita e se viu envolvida no caso, que chamou a atenção de todo o Brasil. A manicure decidiu escrever um livro sobre a história.

Publicidade

Sequestro de Patrícia Abravanel e Sílvio Santos como refém

Em agosto de 2001, Patrícia Abravanel foi sequestrada por Fernando Dutra Pinto e seu irmão. Após negociações, Sílvio Santos pagou meio milhão de reais para liberarem sua filha, que chegou dirigindo em casa.

Após o êxito no sequestro, Fernando foi emboscado por três policiais em um condomínio de luxo, em São Paulo. Baleado, o sequestrador conseguiu fugir e acabou matando dois agentes na troca de tiros.

Publicidade

Diante da confusão, Fernando fugiu para casa de Sílvio Santos, onde o manteve refém. Ele acabou se entregando após uma longa negociação do apresentador com a polícia e com o Governador de São Paulo daquela época, Geraldo Alckmin.

Publicidade

Suspeita de sequestro envolvida

Josiene Santos Batista foi considerada uma suspeita do sequestro de Patrícia Abravanel. Um revólver calibre 38, que estava no nome da manicure, foi apreendido com o sequestrador ao fazer Sílvio Santos de refém.

Publicidade

Em uma entrevista para o Extra, a manicure disse que ficou surpresa quando viu sua foto na televisão. Ela afirmou que a arma foi apreendida quando foi presa por causa de um assalto, durante sua adolescência.

O revólver estava com um dos policiais mortos por Fernando, que o pegou durante a troca de tiros. Josiane disse que todas as histórias estarão em seu livro, “Silvio Santos na mira do meu 38”.

Publicidade
Publicidade