in

Roberto Carlos não se considera exagerado em relação aos seus cuidados contra a Covid-19

Para o Rei, o cumprimento de mão entre as pessoas deveria ser proibido.

Globo.com

Aos 80 anos, Roberto Carlos, que já está devidamente imunizado, pois, tomou as duas doses da vacina contra a Covid-19, não se importa de ser taxado como exagerado em relação aos seus rigorosos cuidados em relação à doença.

Publicidade

Desde o início da pandemia, o cantor determinou que os funcionários da sua residência não utilizem de forma alguma o transporte público. Além disso, não permite que ninguém entre no seu carro. Vale lembrar, que nas duas vezes em que foi vacinado, ele dirigiu sozinho seu o veículo a um posto de saúde, no Rio de Janeiro.

Para o Rei, o cumprimento de mão, tão comum entre as pessoas, deveria ser terminantemente proibido e todos passariam a usar o “cumprimento oriental” apenas se curvando, em que até uma simples gripe poderia ser evitada.

Publicidade

Como tem TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), o cantor aumentou os seus procedimentos sanitários exigidos para prevenção contra a doença e não concorda em ser taxado de exagerado por essa atitude. Para ele essa é uma doença traiçoeira e continua sendo necessário o uso de máscaras e o distanciamento também deve ser mantido. Ele acha que se todos agissem dessa maneira, a situação poderia estar bem melhor.

Publicidade

Publicidade

Raramente o cantor sai de casa, a não ser para ir ao seu estúdio, localizado ao lado de sua residência, de onde vem retomando as suas atividades profissionais.

Na semana passada, Roberto Carlos abriu uma exceção saindo do seu isolamento para comparecer ao casamento do seu filho, Dudu Braga, realizado em São Paulo.

O Rei não esconde a sua saudade dos palcos, pois para ele, ali não enfrenta nenhum tipo de problema.

Publicidade
Publicidade
Publicidade