in

As três características dos grandes investidores, na opinião de Felipe Ruiz, do AGF

Felipe Ruiz é engenheiro com MBA pelo MIT e sócio-fundador do Ações Garantem o Futuro.

Reprodução/Instagram

É muito comum vermos investidores deixando de tomar decisões por medo. Medo de errar, medo de perder ou medo de ficar para trás.

Publicidade

Na bolsa (e na vida) só não erra quem não age. Se você não fizer nada, a chance de errar é zero. Mas é isso que queremos?

Mesmo os investidores mais experientes, inclusive os já conhecidos do público (Luiz Barsi, Lírio Parisotto, Luiz Alves Paes de Barros, Silvio Tini, etc), erram com uma certa frequência.

Publicidade

Mas analisando suas atitudes e virtudes vejo três características que os diferenciam dos demais:

Publicidade

1) Quantidade de erros muito menor que de acertos

Publicidade

Quando erram, erram pequeno. Quando acertam, acertam grande.

2) Mergulham de cabeça nas suas convicções

“Só duas coisas são certas na vida: a morte e os impostos”. Na bolsa nunca teremos 100% de certeza sobre determinado preço, empresa ou setor. Mas quando as probabilidades de ganhos são muito maiores que as de perda, eles não pensam duas vezes e montam posições realmente grandes.

3) Nunca olham para trás

Na bolsa é fundamental não ficar se lamentando, seja por uma decisão tomada errada ou por uma decisão que deveria ter sido tomada e não foi. O mais importante é aprender com os erros e não repeti-los.

Felipe Ruiz é engenheiro com MBA pelo MIT e sócio-fundador do Ações Garantem o Futuro.

Publicidade
Publicidade