in

Por que Tarcísio Meira morreu mesmo tendo tomado as duas doses da vacina? Médicos explicam de forma didática

Internado desde o dia 9 de agosto, Tarcísio havia sido vacinado com as duas doses da vacina contra o vírus.

Reprodução: Purepeople / Notícias R7 - Fotomontagem por Manuella

Faleceu, na manhã desta quinta-feira (12), aos 85 anos, o ator global Tarcísio Meira, em decorrência de complicações oriundas de uma infecção por Covid-19.

Publicidade

Internado desde o dia 9 de agosto, o global estava intubado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e precisou, até mesmo, ser submetido a uma diálise contínua, em virtude de problemas nos rins.

Glória Menezes, de 86 anos, esposa de Tarcísio, também foi contaminada. Entretanto, a atriz foi acometida por sintomas mais leves e se recupera bem da doença, sem complicações.

Publicidade

Publicidade

Tanto Glória, quanto Tarcísio, haviam sido vacinados com as duas doses da vacina contra a Covid-19 em março deste ano, o que leva diversas pessoas a se questionarem por qual motivo algumas pessoas imunizadas continuam falecendo em decorrência da infecção.

Publicidade

Explicação de especialistas

De acordo com o geriatra Natan Chehter, do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, o sistema imune dos idosos demora um tempo maior para responder à vacinação em relação ao dos jovens. Desse modo, o efeito da vacina é retardado, fazendo com que os sintomas se tornem um pouco mais fortes e a recuperação mais lenta. A CoronaVac, por exemplo, vacina recebida por Tarcísio Meira, possui uma eficácia de 49,9% em pessoas com mais de 80 anos.

No entanto, é válido ressaltar que, de acordo com especialistas, a exemplo do imunologista Gustavo Cabral, as vacinas aplicadas no Brasil, na atualidade, são consideravelmente seguras e eficazes, constatação comprovada por um dado divulgado pela Info Tracker em conjunto com a Unesp, que demonstra que pessoas completamente vacinadas representaram, apenas, 3,68% das mortes por Covid-19.

Ainda de acordo com outra especialista, Natália Pasternak, doutora em microbiologia, pode-se fazer uma analogia entre a vacinação e uma partida de futebol: “A vacina diminui o seu risco de ficar doente, agora se você estiver numa área onde a defesa do time é ruim, onde o vírus está circulando muito, a probabilidade de você ficar doente aumenta”. Dessa maneira, Natália explica que, em uma partida de futebol, ter um goleiro eficiente não significa que o time nunca sofrerá gols, assim como ocorre com as vacinas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade