in

Globo deixa de exibir reportagem sobre acusações de cárcere privado contra presidente da Universal Music

As denúncias ainda se arrastam pela Justiça e nenhum inquérito chegou a ser instaurado sobre o caso.

Reprodução/Metrópoles

As polêmicas sobre as acusações envolvendo o presidente da Universal Music, Paulo Lima, e sua ex-mulher ainda estão longe de acabar. Em novo episódio da briga, a Globo decidiu não exibir uma reportagem gravada com Helena, falando sobre as acusações de cárcere privado contra o ex-marido.

Publicidade

Helena Lahis, ex-mulher de Paulo Lima, gravou no início de julho deste ano, uma reportagem para o programa  “Fantástico“, da Rede Globo, contando detalhes de todo o calvário que foi obrigada a passar, e chegou a elogiar a abordagem dos repórteres da emissora durante a entrevista feita. No entanto, a matéria nunca chegou a ser exibida e deixou Helena perplexa. 

Helena afirma que tem lutado até hoje para ser ouvida e provar não ser “louca”, tentando fazer com que a denúncia ande na Justiça. Mesmo após quase 2 anos da internação, nenhum processo sobre o caso chegou a ser instaurado contra Paulo Lima, que segundo a revista Veja, é uma das pessoas mais poderosas do mercado musical brasileiro.

Publicidade

Internação em clínica psiquiátrica

Segundo o jornal “Metrópoles”, Helena chegou a ser internada no dia 20 de outubro de 2019, em uma famosa clínica do Rio de Janeiro, a Clift, conhecida por misturar pessoas com tendências suicidas e dependentes químicos, além de outras questões psiquiátricas.

Publicidade

No entanto, nenhum profissional chegou a atestar qualquer distúrbio mental na ex-mulher de Paulo Lima. Em depoimentos feitos à Justiça, mais de dez profissionais confirmaram que foram feitos laudos sobre o estado de saúde de Helena, incluindo especialistas como médicos e psicólogos, e nunca foi encontrado nenhum diagnóstico.  

Publicidade

Mesmo sem um laudo médico, Paulo acabou conseguindo internar a ex-mulher com a ajuda de uma amiga médica. Em sua casa, Helena foi surpreendida com a chegada de dois enfermeiros que a conduziram à força para a clínica psiquiátrica, ficando incomunicável por 21 dias. O casal não estava mais juntos quando aconteceu a internação.

Ela só conseguiu sair do local após conseguir escrever uma carta pedindo socorro e contar com a ajudar de um funcionário do local. O namorado de Helena precisou recorrer à Justiça para conseguir retirá-la da clínica psiquiátrica.

Publicidade
Publicidade
Publicidade