in

Filha de Agnaldo Timóteo consegue direito à herança do cantor na Justiça

A briga começou devido ao processo de adoção não ter sido finalizado antes do falecimento do cantor.

Reprodução/Metrópoles

A briga pela herança de Agnaldo Timóteo ainda segue na Justiça, mesmo após quatro meses de seu falecimento. O cantor morreu no dia 3 de abril deste ano, aos 84 anos, após sofrer várias complicações em decorrência da Covid-19.

Publicidade

O processo judicial foi iniciado após os irmãos de Timóteo questionarem o testamento que deixou metade de sua fortuna para sua filha adotiva Keyty, avaliada em aproximadamente R$ 16 milhões, alegando que o cantor estaria desorientado quando tomou a decisão. A outra metade deveria ser divida entre dois de seus filhados e dois de seus irmãos.

Agnaldo Timóteo entrou com um processo de adoção para regularizar a situação da filha Keyty, hoje com 14 anos, mas o processo não foi finalizado na Justiça antes de sua morte. A criança foi criada pelo cantor desde quando tinha 1 ano de idade e morava na mesma casa do pai.

Publicidade

Devido à briga judicial com os parentes do cantor, a criança chegou a ser retirada de sua residência onde morava com o pai. No entanto, o advogado Sidnei Lobo Pedroso, que é inventariante do músico, garantiu que Keyty conseguisse acesso à herança e retornasse a sua case no mês de julho.

Publicidade

Em decisão recente, a Justiça finalmente determinou que Keyty é filha de Agnaldo Timóteo, já que foi ele quem a criou, cuidou dela e educou desde o primeiro ano de vida e ressaltou que ele era a única referência paterna da criança. Keyty está atualmente sob a guarda de sua avó biológica. Com a decisão da Justiça finalizando o processo da adoção, não há mais motivos para que o testamento seja anulado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade