in

Samantha Schmutz dispara contra artista que se omite após incêndio em Cinemateca de SP

A atriz usou suas redes sociais para expressar toda sua indignação com o incêndio.

Reprodução/Site oficial da TV Globo

Samantha Schmütz utilizou suas redes sociais pra expressar toda a sua indignação após o incêndio na Cinemateca de São Paulo, acontecido nesta última quinta-feira (29).  A atriz também aproveitou para criticar alguns artistas, sem especificar nenhum nome, que estariam se omitindo após o caso.

Publicidade

Utilizando os Stories de seu perfil oficial do Instagram, Samantha aparece detonando os artistas que ainda não haviam se posicionado sobre o incêndio, principalmente aqueles que apoiam o governo do atual presidente da república Jair Messias Bolsonaro.

A atriz afirmou ser muito triste tudo que está acontecendo com o nosso cinema e nossa cultura, disparando contra os artistas que apoiam o atual governo. Sem citar nomes, Samantha declara que “essas pessoas” estariam usurpando a arte para fazer somente coisas periféricas, como publicidades, capas, presenças e eventos, não estando nem um pouco preocupados com cinema nacional.

Publicidade

Samantha continuou com direcionando suas críticas para um grupo mais restrito “As beldades em Cannes”, perguntando onde elas estariam agora que a Cinemateca estaria precisando tanto de seus milhões de seguidores.

Publicidade

A atriz terminou dizendo que esses artistas deveriam ter um pouco de vergonha na cara e nunca mais pisar em um set de filmagens, nem mesmo para figuração. Além disso, disparou que teria um sonho de ainda ver esses “pseudo-artistas” pararem de ocupar lugares de artistas verdadeiros.

Publicidade

Já em seu perfil oficial do Twitter, Samantha afirmou que os artista que teria ajudado a eleger esse “monstro” e ainda não teriam se manifestado em relação ao incêndio criminoso da Cinemateca, deveriam ser proibidos de usar um set de filmagem para o resto da vida.

A Cinemateca Brasileira, que fica localizada na Vila Leopoldina (São Paulo), teve o galpão de arquivo atingido por um incêndio nesta última quinta-feira (30). O fogo teria começado em uma sala de acervo histórico de filmes durante uma manutenção de  alguns aparelhos ar condicionado e acabou se alastrando para mais duas salas do prédio. Segundo reportagem da CNN, o Ministério Público Federal teria avisado o Governo há nove dias sobre o risco de incêndio no local.

Publicidade
Publicidade
Publicidade