in

DJ Ivis tenta proibir ex de divulgar vídeos e falar sobre agressões, mas juíza nega

Após imagens divulgas por ex do DJ Ivis, ele tenta silenciá-la na justiça mas pedido é negado.

Reprodução/Instagram oficial do DJ Ivis

Após Pamella Holanda, ex-mulher do DJ Ivis, divulgar imagens em rede social, que mostram ela sendo agredida pelo DJ na frente da filha pequena, o caso foi parar na Justiça. Neste domingo (11), o DJ recorreu à Justiça, na tentativa de proibir Pamella de comentar sobre as agressões com a imprensa, em especial, o momento em que citem a filha menor de idade; e também para remover todo o conteúdo divulgado pela ex, em que ele aparece agredindo-a. 

Publicidade

A juíza Maria José Sousa Rosado de Alencar, que estava no Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), negou o pedido do advogado do DJ Ivis, alegando que não foi verificado, no conteúdo divulgado, nenhuma conduta que ultrapassasse o direito de expressão da imprensa. 

DJ Ivis entra com processo de calúnia contra Pamella

Após toda repercussão e revolta gerados pelas imagens divulgados por Pamella, a defesa de Ives entrou com processo de calúnia, alegando que ela teria, após as 15 horas do dia 10, divulgado à imprensa fatos mentirosos, relativos à violência doméstica, veiculada em site na internet, prejudicial à sua imagem e reputação.

Publicidade

Além da remoção do conteúdo, o DJ solicitava a proibição da ex de comentar o assunto com a imprensa. O pedido foi feito poucas horas depois de Pamella divulgar as imagens em rede social, e a negativa da Justiça também veio no mesmo dia.

Publicidade

Decisão da Juíza

Na decisão proferida pela juíza Maria José,  foi informado ser impossível analisar o pedido do DJ, e que a pretensão de exclusão do conteúdo, na forma que foi apresentada, representaria afronta ao direito fundamental de livre expressão da imprensa. 

Publicidade

Também, segundo a juíza, não foi encontrada, nas imagens divulgadas, nenhuma conduta que extrapolasse o direito de expressão; e que excessos e veracidade das imagens deveriam ser apuradas futuramente, não sendo compatível com o regime de plantão. 

Publicidade