in

Sikêra Jr. se dá mal e já está provando o ‘pão que o diabo amassou’ após xingar gays de ‘raça desgraçada’

Apresentador e emissora já começaram a sentir no bolso a declaração infeliz em rede nacional.

Reprodução: YouTube

O apresentador Sikêra Jr, do Alerta Nacional, programa diário da RedeTV!, começou a se dar mal após a infeliz declaração de que  os homossexuais são “raça desgraçada”.

Publicidade

O apresentador da TV A Crítica usou seu espaço em rede nacional para criticar a nova campanha do Burger King, com crianças de diversas idades explicando que acham normal pessoas do mesmo sexo juntas.

“A criançada está sendo usada. Um povo lacrador que não convence mais os adultos e agora vão usar as crianças. É uma lição de comunismo: vamos atacar a base, a base familiar, é isso que eles querem. Nós não vamos deixar”, afirmou.

Publicidade

Assista ao vídeo abaixo:

Movimento pede a desmonetização do programa de Sikêra Jr.

Publicidade

O Sleep Giants Brasil, movimento de consumidores contra o financiamento do discurso de ódio e das fake news, começou uma campanha nas redes sociais para pressionar os anunciantes a não financiar o programa.

Publicidade

Quatro empresas já responderam ao movimento e cancelaram os contratos de patrocínio com a emissora e publicidade programática no canal do apresentador no YouTube.

A primeira delas foi a MRV, de Rubens Menin, dono da CNN Brasil. A empresa anunciava com certa frequência no programa sangrento da emissora, mas publicou uma nota dizendo que não compactua com qualquer forma de preconceito e que retirou o programa do plano de mídia.

A TIM, uma das maiores empresas de telefonia móvel que atua no Brasil, também confirmou que suspendeu a veiculação de publicidade no canal e reforçou, ainda, que não compactua com disseminação de fake news e discursos de ódio.

Outra empresa que também deixou de anunciar no programa foi a empresa de plano de saúde HapVida, com atuação na região Norte e Nordeste do país.

“Não apoiamos forma alguma de preconceito, seja social, de credo, raça, gênero ou orientação sexual. No momento, suspendemos o patrocínio do Alerta Amazonas. Estamos sempre trabalhando por uma sociedade mais saudável”, disse a empresa.

O Magazine Luiza, que não era anunciante do programa Alerta Nacional mas rodava campanha programática no canal do YouTube, confirmou que bloqueou a veiculação automática de sua publicidade.

“O Magalu é contra qualquer forma de LGBTfobia e nunca admitiremos isso. Não patrocinamos o programa, mas havia anúncios sendo exibidos de forma automática pelo YouTube no canal. Eles já foram bloqueados e não serão mais exibidos”, declarou a empresa nas redes sociais.

Publicidade

Escrito por Anna Müller

Bastante ativa nas redes sociais, escrevo conteúdo sobre os mais diversos assuntos para a plataforma i7 Network.