in

Cavaleiros do Zodíaco tem pobre remake feito pela Netflix

netflix

A Netflix animou os fãs de anime quando anunciou que faria um remake dos Cavaleiros do Zodíaco, retomando a estória de Seya e seus companheiros, desde o início do treinamento até a saga das doze casas, em um novo formato e com melhorias gráficas, mas bastou o lançamento para a empolgação cair por terra. 

Publicidade

Os novos Cavaleiros do Zodíaco estão razoavelmente fiéis ao material original, e com o gráfico bem melhor, o que conferiu um ar de gravidade aos idolatrados cavaleiros de ouro e deixou os golpes menos caricatos, na medida do possível, mas ao fazer dublagens em diversos idiomas e priorizar o inglês, talvez para atingir o público americano, a Netflix começou a perder a alma, especialmente por esquecer de gravar justamente em japonês, que é o original. A graça de ouvir os golpes e as longas, desnecessárias e divertidas discussões antes e durante a luta ficaram para trás. Agora os cavaleiros só lutam, com breves e objetivos comentários.

Não bastou esquecer o japonês, os personagens tinham que ser renomeados para parecerem menos nipônicos: Saori vira Sirena, Ikki vira Nero. Só Seya ainda é Seya – estranho que não virou Sean. Aliás, Shun virou mulher. O personagem caracterizado como um homem afeminado, como tantos outros na cultura japonesa, foi transformado em mulher em um movimento totalmente desnecessário. 

Publicidade

Em 6 episódios, parece que a Netflix conseguiu esvaziar tudo que deixava os cavaleiros interessantes aos ocidentais que os amam, e perderam justamente o que não podiam perder: o cosmo.  

Publicidade
Publicidade

Escrito por Bene!

Um curioso acima de tudo. Amante das artes, busco viver sem rótulos e explorar o que a alma pede. Escrevo sobre o que gosto, amo, odeio, me faz pensar e me faz sentir. Espero que minhas ideias, palavras e ações sejam meu legado. Bem vindos e espero que gostem.