in

Deborah Secco fala sobre não poder ter contato físico em Salve-se Quem Puder: ‘Beijei até vento’

A atriz falou sobre as cenas de beijo que foram feitas com distanciamento.

TV Globo

Deborah Secco teve que se adaptar aos protocolos de segurança contra o Coronavírus que foram adotados pela Globo quando teve que retornar para as gravações da trama das sete. De forma bem-humorada, a atriz que interpreta Alexia contou quais foram os artifícios usados nas cenas de beijo em ‘Salve-se Quem Puder’. “Beijei bolinha de tênis, acrílico e até vento”, contou a global.

Publicidade

Porém, a atriz afirmou que teve dificuldade em manter distância na hora de contracenar com os colegas. Quando retornou aos Estúdios Globo, Deborah já teve cenas nas quais precisou trocar carícias com dois atores.

Durante entrevista para Patrícia Kogut, do jornal O Globo, ela contou que o mais difícil foi ter que se adaptar a ausência do toque, e não ter a interação física.

Publicidade

Os protocolos que foram adotados pela emissora na pandemia fizeram com que os atores não tivessem ajuda de assistentes nos estúdios. A artista relembrou que ela mesma carregava sua garrafa de água, óculos, peruca, celular e o bloco de texto.

Publicidade

A funcionária da Globo disse ainda que dispensou sua dublê em algumas cenas de ação do folhetim, como a que sua personagem despencou de um andaime ao lado de Kyra e Luna. A artista de 41 anos se divertiu ao lembrar que sua dublê costuma dizer que só vai ao set para tirar foto com ela.

Publicidade

Ela também falou sobre a estreia da herdeira, Maria Flor, na trama. A menina gravou uma participação no folhetim de Daniel Ortiz. A atriz contou que a pequena está muito ansiosa para se ver na televisão.

Em relação ao seu maior desafio na novela, a atriz afirmou que foi as sequências com o furacão que agitou o início da história. Segundo ela, fazia muito frio, foram dezessete dias com a roupa molhada e debaixo da água gelada.

Publicidade
Publicidade
Publicidade