in

Comemorando 25 anos de SBT, Celso Portiolli não esconde as broncas que já levou de Silvio Santos

O apresentador já foi chamado de mentiroso e teve que ficar na geladeira sdo SBT por uns tempos.

SBT

Comemorando 25 anos de SBT e atualmente no comando do “Domingo Legal”, que consegue obter ótimos índices de audiência nas manhãs de domingo, Celso Portiolli não se intimida em revelar que já levou muitas broncas de Silvio Santos durante esse longo período em que está na emissora.

Publicidade

O apresentador conta que, certa vez, foi chamado ao camarim do patrão, pois estava fora do ar já há algum tempo. Ele não esconde que foi um tanto arrogante e pretensioso ao declarar que não aceitaria fazer o que ele estava lhe propondo e teve uma fita bruscamente puxada da sua mão. Os dois tiveram uma forte discussão, mas após algum tempo, Portiolli voltou ao ar e o programa tornou-se um grande sucesso da casa.

Ele também afirma que Silvio Santos nunca lhe deu absolutamente nada de mão beijada, mas muitas lições como não se importar tanto com a fama e nem se ficasse sem comandar um programa na emissora por um tempo, pois isso faria dele um profissional tranquilo.

Publicidade

Portiolli também contou que já esteve na residência de Silvio, uma mansão no Morumbi, zona sul de São Paulo, onde foi muito bem recebido, apesar de não manterem uma vida social. Silvio, segundo o apresentador, sempre foi “um paizão”, pois quando percebia que ele estava contrariado em fazer algumas coisas, sempre fez questão de lhe mostrar o caminho que deveria seguir.

Publicidade

Certa vez, Portiolli procurou o patrão para contar que havia recebido um convite da Globo. Ele quis saber de quem, mas como não poderia, no momento, revelar que tinha sido do diretor Roberto Talma, pediu uma semana pra revelar. Silvio o chamou de mentiroso e disse que ligaria, imediatamente, para Roberto, na época era presidente da concorrente. Celso acabou não trocando de emissora e ficou na geladeira do SBT por um período.

Publicidade

E nas vezes que se achou “a última bolacha do pacote”, ele conta que o patrão sempre lhe colocou, novamente, com os pés no chão.

Publicidade
Publicidade
Publicidade