in

Pânico é palco de pancadaria ao vivo entre integrante e convidado

André Marinho e Tomé Abduch brigaram feio nesta terça-feira (11) no programa Pânico.

O programa Pânico protagonizou uma das suas maiores brigas nesta terça-feira (11). Tomé Abduch e André Marinho vêm se estranhando há algum tempo em suas participações na atração. Isso porque o empresário, que sempre é convidado para comentar sobre política na Jovem Pan, é um ferrenho apoiador de Bolsonaro, enquanto André Marinho, filho de Paulo Marinho, é ex-aliado do presidente por conta do caso Queiroz.

Publicidade

Nesta terça, os dois apareceram trocando farpas durante a exibição do programa transmitido ao vivo no canal do YouTube e pela rádio Jovem Pan, ambos se ofendiam de forma pessoal, mas tudo acabou em uma briga física.

Marinho questionou Tomé por ele ir à festa de Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, e ter sido visto conversando com Joice Hasselmann, ex-apoiadora de Bolsonaro. “Eu apoiei o Lira, porque um homem tem que tomar um lado”,  explica o empresário que justifica não ter apoiado Baleia Rossi (que disputava com Lira) por acreditar que não aconteceria nada se referindo a mudanças na política.

Publicidade

Referente a ser visto conversando com Joice, chamada de traidora por bolsonaristas por deixar de apoiar o governo Bolsonaro, ele disse: “Eu vou à festa e passa a Joice, coloca a mão em mim e fala: ‘você está do lado errado, seu presidente é ladrão, tá apoiando o lado errado, seu presidente é aquilo’. Eu como sou educado, coloquei a mão nas costas da Joice e falei: ‘Joice você escolheu o seu lado, você vai ter o bônus e o ônus do teu problema. Eu apoiei o presidente Jair Bolsonaro. Siga o teu caminho”.

Publicidade


Publicidade

Tomé chama o integrante do Pânico de “babaca”. Neste momento, André Marinho rebate o chamando de “chorão”.  O empresário, então, se levanta e vai em direção a Marinho que começam a pancadaria. Emílio Surita chega a tentar segurar o entrevistado, mas sem sucesso chama os comerciais.

Ao retornar, o apresentador do Pânico tranquiliza os ouvintes: “Eu peço desculpas a nossa audiência. Os ânimos se acirraram aqui, você sabe que a democracia é ruidosa mesmo, e às vezes a gente perde o controle da situação, mas está tudo bem. Posso garantir para vocês que está tudo certo, tá cada um para o seu lado”.

Emílio também revela que haverá uma conversa fora do ar. “Eu fico triste de uma discussão que a gente quer levar bacana, ir para o lado pessoal. Não era o nosso objetivo, mas você sabe como funciona, principalmente neste momento que a gente está vivendo esse momento quente na política”, finalizou o comandante do Pânico ao encerrar o programa na internet e rádio.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Ariane

Formada em pedagogia em 2011, atuo como redatora desde 2015. Produzo conteúdo sobre o que sou fã. Séries, músicas e tudo que envolve o mundo pop.