in

Viúvo de Paulo Gustavo presta emocionante homenagem ao ator e humorista no Dia das Mães

Através da Dona Hermínia, ele teve a oportunidade de se transformar em ‘a maior mãe do Brasil’.

Catraca Livre

O dermatologista Thales Bretas, viúvo de Paulo Gustavo, prestou uma homenagem ao companheiro, recentemente falecido, pela passagem do “Dia das Mães”.

Publicidade

Através de suas redes sociais, ele postou uma imagem do ator e humorista caracterizado de Dona Hermínia, um dos seus personagens mais conhecidos pelo grande público, dando mamadeira para Gael, um dos filhos do casal, com a legenda: “É a maior mãe do Brasil”. Dona Hermínia, além de um espetáculo teatral, também foi personagem central dos filmes ‘Minha mãe é uma peça’, que entrou para lista das maiores bilheterias da história do cinema nacional.

Thales também usou imagens de Paulo Gustavo e de sua mãe, Solange Bretas para ilustrar um texto, onde declarava que eram “as duas maiores mães de sua vida”.

Publicidade

Sobre o relacionamento do ator e humorista com os filhos Romeu e Gael, de um ano e nove meses, Thales afirma que na função dupla de pai e mãe, jamais deixou de ser dedicado, atencioso e carinhoso com os meninos, pois exerceu o posto de “pãe” com extrema competência.

Publicidade

O companheiro, através de imagens veiculadas no Instagram, relembrou a última viagem que fizeram juntos para Amsterdã, na Holanda.

Publicidade

Paulo Gustavo faleceu na noite da última terça feira, 4 de maio, logo após seu quadro clínico ser constatado como irreversível e ter a morte cerebral confirmada por complicações decorrentes do coronavírus.

Ele estava internado num hospital particular do Rio de Janeiro desde o dia 13 de março, permanecendo intubado na UTI e apresentando pioras no seu estado de saúde desde o início do mês. Mesmo passando por vários procedimentos, não obteve recuperação pulmonar apesar dos esforços da equipe médica.

Com mais de 15 anos de carreira, Paulo Gustavo deixou além de Thales Bretas, os dois filhos Romeu e Gael, a irmã Ju Amaral, o pai Julio Monteiro de Barros e a mãe Déa Lúcia Amaral, que foi a sua musa inspiradora para a criação de Dona Hermínia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade