in

Fantástico faz novas revelações do caso Henry: garoto foi hospitalizado após conversa de Monique com a babá

REDE GLOBO | MONTAGEM INGRID MACHADO

O “Fantástico” deste domingo (11/04) apresentou novos detalhes sobre o caso do garoto Henry Borel, morto no início de março. Novos depoimentos revelaram como a polícia decidiu prender a mãe Monique Medeiros e o padrasto da criança, o vereador Jairinho.

Publicidade

O programa revelou, ainda, como funciona o software de computador israelense que foi o responsável por recuperar as mensagens entre Monique e a babá Thainá. Esse software foi crucial na busca de  provas contra o casal, que foi preso na manhã da última quinta-feira (08/04). 

Outro fato mostrado no dominical da Rede Globo foi que Henry deu entrada em uma pediatria no dia 14 de fevereiro. Isso aconteceu um dia após a troca de mensagens em que a babá detalha para Monique que o garoto estava sendo espancado pelo vereador Jairinho em um quarto do apartamento onde moravam. A ficha da pediatria aponta que o garoto estava mancando e com dores no joelho. Esse é o mesmo hospital que a criança foi levada no mês seguinte, mas, nessa ocasião, ele já estava morto. 

Publicidade

O Fantástico mostrou que os laudo das investigações apontam que é impossível que o Henry tenha morrido por conta de uma queda da cama, como relatou Monique no hospital. O garoto teria mesmo sido vítima de mais uma agressão que o levou a morte.

Publicidade

A perícia também diz que Henry faleceu ainda no apartamento e que em uma imagem recuperada do elevador quando Monique o levava ao hospital, o menino já estaria morto. A reportagem falou com parentes de Monique. O pai dela alegou que acredita na inocência da filha.

Publicidade

Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com