in

João Gordo sobre apoiadores do governo Bolsonaro: ‘Tem as mãos sujas de sangue’

Reprodução/Internet

O nome de João Gordo, músico da banda Ratos de Porão, ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter nesta terça-feira, 23, isso depois que ele deu declarações polêmicas sobre o governo do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido). Ele não demonstrou ter papas na língua e não pensou duas vezes ao criticar os apoiadores do presidente, afirmando que tais pessoas seriam “cúmplices de genocídio”.

Publicidade

Em uma entrevista concedida ao “Programa Clube do Vinil de Mossoró”, João Gordo respondeu como lidaria com pessoas mais conservadoras da cena do Rock/Puck. “Não tem relação com fascista”, disse o músico.

Gordo diz que fascista não entende de “po*** nenhuma”, apenas de paulada e porrada. Em seguida, o músico ressalta que quem apoia Bolsonaro sabe sobre tudo de errado que isso representa, e diz que se ele está nessa ele é mau-caráter. João diz ainda que todos os apoiadores de Bolsonaro “tem as mãos sujas de sangue” dos quase 300 mil mortos da Covid-19. 

Publicidade

E não foi só isso. Se referindo ao chefe do Executivo por “nazi”, o músico ainda mandou um recado. Ele diz que se os apoiadores de Bolsonaro estivessem lhe ouvindo, “também é um desgraçado”.

Publicidade

O músico ainda pede para que Bolsonaro abra a sua cabeça, e ressalta não ser questão de direita ou esquerda, mais sim de hecatombe genocida e de caos.

Publicidade

Como já era de se esperar, as declarações de João Gordo a respeito de Bolsonaro logo repercutiram e movimentaram o Twitter. Em resposta, alguns apoiadores do presidente chegaram a criar tuítes a respeito de uma falsa morte do músico.

Publicidade
Publicidade
Publicidade