in

Vítima fatal da Covid-19, Irmão Lázaro participou de protesto pela volta aos shows dias antes de ser infectado

Época - Câmara Municipal Salvador - Montagem

Depois de quase um mês na UTI lutando pela vida, o cantor e vereador Irmão Lázaro não resistiu às complicações da Covid-19 e morreu na noite da última sexta-feira (19), em Feira de Santana. O artista e político de 54 anos estava internado desde fevereiro em uma unidade hospitalar no interior da Bahia. 

Publicidade

Segundo informações de familiares, Lázaro foi diagnosticado com o coronavírus no dia 15 de fevereiro, e desde então realizava o tratamento em sua residência. Contudo, no dia 22 de fevereiro, os sintomas da doença se agravaram, e ao realizar exames, foi diagnosticado que ele estava com 50% dos pulmões comprometidos. 

Três dias após ser internado, o artista precisou ser transferido para um leito de UTI, e posteriormente foi encaminhado para uma unidade hospitalar de Feira de Santana.

Publicidade

Manifesto dias antes da infecção

Quatro dias antes de testar positivo para a Covid-19, Irmão Lázaro participou de um manifesto realizado na frente do Shopping da Bahia. A movimentação que contou com músicos e profissionais de eventos pediam a volta imediata dos shows em Salvador, propondo uma retomada segura. 

Publicidade

“Defendemos a volta da realização de eventos com limite no número de pessoas, respeito ao distanciamento e os protocolos de segurança, como a utilização de máscaras e o uso do álcool em gel”, disse Lázaro. 

Publicidade

Na reivindicação, Lázaro exemplificou que bares e restaurantes já estavam abertos na capital baiana, por isso, no mínimo, estes profissionais deveriam ser liberados para se apresentarem nestes locais. 

Dias depois desta participação no manifesto, o vereador acabou sendo diagnosticado com a doença, e após uma longa luta não sobreviveu. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade