in

Corte de gastos: Globo troca helicóptero por modelo mais simples e repórteres se recusam a voar

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM @CASAL.SPOTTER

Seguindo na sua ação de redução de custos, a TV Globo resolveu trocar os modelos do Globocop no Rio de Janeiro e São Paulo. A decisão passou a valer já no primeiro dia do ano e o antigo modelo Esquilo AS350 B2 foi trocada por um Robinson R44, um helicóptero de menor tamanho, que possui gastos de manutenção e combustível mais baixos.

Publicidade

A modificação causou insegurança aos repórteres e três deles pediram para não trabalhar direto das aeronaves. A Globo atendeu o pedido dos jornalistas. Walace Lara, César Galvão e Janaina Lepri foram nomes, de acordo com o Notícias da TV, a pedirem para não serem escalados para trabalhar no novo Globocop.

A nota ainda adianta que nem a chefia de reportagem de São Paulo ficou satisfeita com a mudança, mas que foi necessário acatar, uma vez que a redução de gastos faz parte do novo plano da Globo para enxugar a folha de pagamentos.

Publicidade

Preocupação entre os repórteres

Os jornalistas escalados normalmente para reportagens aéreas ficaram preocupados com a mudança, principalmente por conta da decolagem. O Notícias da TV afirma que na primeira semana de uso das novas aeronaves, uma equipe passou por um momento tenso ao partir do solo em São Paulo. 

Publicidade

A aeronave não conseguia subir e era puxada pra baixo na hora da decolagem, o que causou medo aos profissionais responsáveis pelo trabalho dentro do helicóptero.

Publicidade

O helicóptero antigo tinha mais potência por conta do seu motor e possuía, inclusive turbinas, sendo possível carregar mais peso. De acordo com Victor Di Pietro, especialista em helicópteros, por conta do peso dos equipamentos da TV, a nova aeronave está apresentando dificuldades para apresentar voo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Matheus Feitosa

Escrevo sobre TV, famosos e entretenimento desde 2011.

A atenção nos detalhes é o que nos faz prosperar.