in

Detetive Pikachu diverte mais que o esperado

Reprodução: Nintendo

Os filmes baseados em jogos de vídeo game são notórios por serem grandes decepções. Não importa quão bom seja o jogo: o filme será ruim.

Publicidade

Essa realidade tem sido vivida por mais de vinte anos, sem grande perspectiva de mudança. Até os jogos com enredos mais elaborados, quase cinematográficos, como Assassin´s Creed viraram motivo de tristeza.

Então, não havia muito o que esperar de uma adaptação de Pokemon, batizada como Detetive Pikachu. 

Publicidade

Em Detetitve Pikachu, o ratinho elétrico fala (com a voz de Ryan Reinolds), está desmemoriado e precisa ajudar a desvendar um mistério que provocou a morte de seu parceiro policial e apagou sua memória, junto do filho do falecido, já órfão da mãe. Um enredo tétrico, para se dizer o mínimo, para um filme baseado em um jogo sem censura. O cheiro de desastre estava no ar. E aí, o filme começa a surpreender positivamente. 

Publicidade

Primeira boa sacada: os personagens humanos mais clássicos não foram desperdiçados nesse filme. Nem Ash, nem o professor. Outros personagens humanos tomaram a frente.

Publicidade

Algo parecido com Transformers: são os robôs que importam, certo? Então a lógica fica mantida em Pokemon: os monstrinhos de bolso estão por todo lado, desde a primeira até a última cena.

Eles não são introduzidos, eles são esse universo. Essa abordagem dispensou a necessidade de uma narrativa paternalista que explicasse como, onde, ou porque eles existem.

É dado do problema. E ao fazer um Pikachu falante, ao invés do monótono “pikapika”, a direção conferiu dinamismo ao longa, e um elemento novo na dinâmica esperada. 

Como o mundo é dos Pokemon, eles tomam a frente da aventura: desde o vilão ao herói, e até mesmo elementos intermediários, como testemunhas e lutas de ginásio, fazendo um agrado ao fã dentro do contexto do filme, mostrando que o diretor Rob Letterman havia acertado a mão, talvez seu melhor filme até aqui. Bons efeitos especiais acabam compondo, sem se sobressair ao resto. 

E não é que dentro da tragédia anunciada, o filme se salvou? Diverte dentro do esperado, e consegue surpreender onde menos se espera, com algumas reviravoltas no enredo e um final interessante, que deixa margem para mais um filme. Agradável surpresa.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Bene!

Um curioso acima de tudo. Amante das artes, busco viver sem rótulos e explorar o que a alma pede. Escrevo sobre o que gosto, amo, odeio, me faz pensar e me faz sentir. Espero que minhas ideias, palavras e ações sejam meu legado. Bem vindos e espero que gostem.