in

Conheça detalhes e como detectar sintomas do câncer que acometeu a apresentadora Fátima Bernardes

G1/DrauzioVarela/Montagem

A apresentadora do programa Encontro, a jornalista Fátima Bernardes, anunciou nesta quarta-feira, 2 de dezembro, a luta contra uma grave doença. Infelizmente, Fátima Bernardes revelou que está com câncer de útero. Apesar do diagnóstico, a famosa fez questão de ressaltar que está passando bem.

Publicidade

No entanto, Fátima anunciou que vai ficar uns dias afastada da apresentação do programa Encontro. O motivo é que a famosa vai ser submetida a um procedimento cirúrgico para a retirada do câncer de útero. O diagnóstico de câncer geralmente é algo assustador para a maioria dos pacientes, porém, a jornalista disse que está passando bem.

O câncer no colo de útero costuma acometer as mulheres com idade acima de 25 anos e o principal agente causador na maioria das vezes é o HPV – papilomavírus humano, que é um vírus, capaz também de infectar os homens. Esse tipo de câncer apresenta uma evolução lenta.

Publicidade

No entanto, antes de se tornar algo maligno, o que é preciso alguns anos, o tumor passa por uma fase de pré-malignidade, que é chamada de Neoplasia Intrapitelial Cervical, podendo ser classificado em graus I, II e III e IV conforme a gravidade de cada caso. Para quem não sabe, o câncer de colo de útero ainda é o quarto tipo de câncer mais incidente em mulheres, sendo a quarta causa de morte de mulheres por câncer no país.

Publicidade

Contudo, a boa notícia é que segundo as estatísticas, 44% dos casos diagnosticados, a enfermidade está restrita apenas ao colo do útero e ainda não desenvolveu as características de malignidade. Por isso, quando descoberta nessa fase, a maioria das mulheres se curam. Existem dois tipos mais comuns do câncer de colo de útero e ambos está associado ao HPV: os adenocarcinomas, que corresponde a 20% dos casos, e os carcinomas epidermoides, 80%.

Publicidade

Dor pélvica e sangramento vaginal são os primeiros sinais da doença, e a melhor forma de prevenção é o exame de “papanicolau”, já que quando descoberto na fase inicial as chances de cura são grandes. Numa fase mais avançada a mulher pode ter anemia, dor nas pernas, costas, perda de peso repentina, problemas urinários e intestinais. 

No Brasil, o Ministério da Saúde sugere que o papanicolau seja repetido um ano depois do primeiro exame. Se os resultados forem normais, o intervalo deverá passar a ser de 3 anos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.