in

Aos prantos, Luciano Camargo comove Ana Furtado com desabafo: ‘abraço de conforto, até agora não recebi’

GShow

A morte de Francisco Camargo, pai de Zezé Di Camargo e Luciano, uma das duplas sertanejas mais famosas do país, gerou grande comoção e abalou as estruturas da família Camargo. Seu Francisco, como era chamado carinhosamente pela maioria das pessoas, morreu no começo da semana após ter ficado internado por 14 dias no hospital.

Publicidade

O velório do pai de Zezé Di Camargo e Luciano foi marcado por forte comoção e muito sofrimento dos familiares, que tiveram que se despedir do homem que era o grande exemplo para os parentes. Zezé se emocionou muito e não conteve as lágrimas ao prestar uma homenagem no velório, cantando a grande música de sucesso da dupla, a canção É o Amor.

Luciano Camargo amargou em casa o desejo de se despedir do pai, mas infelizmente ele não pôde comparecer nem ao velório ou sepultamento. O motivo é que o cantor sertanejo testou positivo para a Covid-19 recentemente, e está cumprindo isolamento domiciliar conforme determinação de protocolo para tratamento da doença.

Publicidade

Em um vídeo exclusivo para o Gshow no É de Casa, Luciano Camargo recordou as boas lembranças envolvendo a vida familiar. “Meu convívio, antes de começar a cantar, era normal, com as broncas diárias que a gente tinha. Meu pai era um homem muito correto nas suas atitudes. Mas era um convívio muito doce”, disse o artista.

Publicidade

Muito emocionado com a perda do pai, o cantor não conteve as lágrimas e lamentou não ter tido a oportunidade de poder se despedir do pai pela última vez. “Essa Covid tirou de mim o último abraço que eu poderia dar no meu pai. A Covid tirou o meu último abraço no meu pai, a despedida, e também tirou aquele abraço de conforto, que até agora não recebi.”

Publicidade

Apresentadora do programa É de Casa, Ana Furtado se comoveu com o drama do cantor sertanejo e mandou um abraço para o famoso que, neste momento, está isolado por ter contraído o coronavírus. Luciano disse que acredita que um dia vai poder se reencontrar com o pai e dar esse abraço que a Covid não permitiu que acontecesse.

O famoso também relembrou que esteve com o pai uma semana antes da morte e sentiu que aquele dia era diferente, que talvez fosse a última vez que pudesse abraçar o seu pai.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.