in

Presa, filha de Belo disse à polícia que entrou para quadrilha porque precisava de dinheiro

Instagram | Belo

Mais um capítulo sobre a prisão da filha do cantor Belo veio à tona. Isadora Almimin Vieira, de 21 anos, foi presa no último dia 11 de novembro após a polícia identificar uma quadrilha especializada em fraudar contas bancárias no Rio de Janeiro. De acordo com o site Metrópoles, o esquema visava ludibriar as vítimas fazendo com que elas fornecessem dados bancários pelo telefone.

Publicidade

Em depoimento à polícia, a filha de Belo afirmou que concordou em fazer parte do esquema porque estava precisando de dinheiro, mas que não sabia ao certo o que era feito com as vítimas do golpe criminoso. Isadora Amimin foi presa junto a mais 11 mulheres. Ainda segundo a polícia, a quadrilha tem ligação com traficantes da comunidade Complexo da Maré.

No crime conhecido como “golpe do motoboy”, as mulheres que integravam a quadrilha se passavam por atendentes de telemarketing de bancos e faziam com que as vítimas fornecessem dados da conta bancária, em seguida, outro integrante da quadrilha ia até à casa da vítima e buscava o cartão bancário.

Publicidade

A função de Isadora na quadrilha era de anotar nomes e dados contidos em um computador. A filha de Belo revelou à polícia que sabia que se tratava de algo ilegal, mas que acreditava que as vítimas pudessem ser ressarcidas pelas instituições financeiras. Estudante de Odontologia, Isadora estava no esquema há cerca de um mês, e recebeu o valor inicial de R$ 600 pela contribuição.

Publicidade

Em entrevista, o cantor Belo disse estar arrasado com a prisão da filha, e afirmou que ela não possuía problemas financeiros, já que ele pagava a quantia de 10 salários mínimos de pensão alimentícia. O artista afirmou, ainda, que sempre deu suporte à filha, e que durante a última conversa entre os dois, chegou a perguntar se ela estava precisando de algo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade