in

Ex-esposa de Belo faz desabafo sobre prisão de filha e recebe apoio nas redes sociais: ‘proteja de todo o mal’

A prisão de filha de Belo na última semana foi amplamente repercutida nas redes sociais e imprensa. Detida por suspeita de participação em uma quadrilha que praticava golpes eletrônicos, a jovem Isadora Alkimin Vieira, de 21 anos, teve a prisão flagrante convertida em preventiva.

Publicidade

Dias depois da prisão da filha, Rejane Alkimin utilizou as redes sociais para publicar uma ‘oração pelo filhos’. 

“Deus, cuida do meu filho, prepare o caminho e guie seus passos. Sei que não posso estar com ele em todos os momentos, mas eu peço: Senhor, vai onde eu não posso ir e projeta de todo mal”, dizia a publicação compartilhada pela mãe.

Publicidade

Até o momento, a ex-esposa de Belo não se pronunciou oficialmente sobre o caso. De acordo com informações passadas pelo cantor Belo, Isadora vivia com a mãe em São Paulo, e cursava odontologia, chegando a receber uma pensão de 10 salários mínimos. 

Publicidade

https://www.facebook.com/photo?fbid=1071308066575810&set=a.162726800767279

Publicidade

Apoio

Na publicação feita, Rejane Alkimin recebeu conforto de familiares e amigos, que manifestaram torcida positiva para que a situação seja resolvida o mais breve possível. 

“Amém! Re, minha querida, estamos aqui todos na torcida para que tudo fique bem. Um grande abraço minha linda”, escreveu uma amiga. “Muita Força, tia! Estou em oração por vocês”, afirmou uma familiar de Rejane. O jornal Extra tentou contato com a mãe de Isadora, mas não obteve sucesso. 

Surpreso

Horas depois da oficialização da prisão de Isadora, o cantor Belo se pronunciou através de sua assessoria para a colunista Fábia Oliveira. Na oportunidade, o artista disse ter ficado surpreso com a notícia, que foi um dos últimos a saber.

No dia seguinte, Belo concedeu uma entrevista exclusiva à revista Quem, e revelou que a filha recebia uma pensão de 10 salários mínimos mensais, e que não entendia o motivo dela ter se envolvido com criminosos. 

Se condenada, Isadora Alkimin pode pegar até oito anos de prisão pela participação na quadrilha que tinha ligação direta com o tráfico de drogas no Rio de Janeiro. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade