in

Goleiro Bruno obtém vitória provisória na Justiça após ter recebido nova determinação do MP

EXTRA - Reprodução

Poucas horas depois do Tribunal de Justiça do Acre atender uma determinação do Ministério Público do estado, obrigando o goleiro Bruno utilizar a tornozeleira eletrônica em jogos do Rio Branco, a defesa do jogador conseguiu uma liminar provisória para que o jogador não faça uso do equipamento nos próximos dias.

Publicidade

A decisão foi tomada pelo juiz Hugo Barbosa Torquato Ferreira, que atendeu um pedido da defesa dos advogados do goleiro. Com isso, Bruno poderá retirar o equipamento eletrônico em jogos da sua equipe no Estadual e na Série D do Brasileirão. 

No pedido, a defesa alegou que as regras da CBF não permitem a utilização do equipamento em jogos, e que a tornozeleira estaria lesionando o atleta. Diante disso, a Justiça concedeu um prazo de 30 dias para que a defesa consiga resolver a situação com a entidade nacional. 

Publicidade

“A defesa deverá provar, no mesmo prazo, que buscou obter junto ao organizador das competições a autorização para participação nos torneios sem a retirada do equipamento”, explicou o juiz,  Hugo Barbosa Torquato. 

Publicidade

Em entrevista ao R7, o presidente do Rio Branco-AC, Valdemar Neto, prometeu ir até às últimas instâncias para garantir que o goleiro não faça o uso do equipamento. 

Publicidade

Estreia na Série D

Depois de defender o Rio Branco em partidas do Campeonato Acreano, a estreia de Bruno no Brasileirão da 4ª divisão nacional está programada para o dia 19, quando o time alvirrubro encara o Independente, do Pará, às 19h (de Brasília), tendo como palco a Arena Acreana.

Pelo certame estadual, o time de Bruno está na semifinal do 2º turno, e enfrentará o Plácido de Castro, nesta quarta-feira (09), às 17h (de Brasília).

Publicidade
Publicidade