in

Filho de Bolsonaro desbanca Globo na Justiça e xinga emissora nas redes sociais: ‘Vitória’

UOL

Filho do presidente da República, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) conseguiu uma liminar na 33ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro nesta sexta-feira (04), garantindo assim a proibição de que a TV Globo exiba qualquer documento ou peça do processo sigiloso da investigação sobre as “rachadinhas” envolvendo seu nome. 

Publicidade

O pedido do herdeiro do presidente feito pelos seus advogados Rodrigo Coca e Luciana Pire foi acatado pela juíza Cristina Serra Feijó, diante disso o processo segue em sigilo.

Após a vitória, Flávio Bolsonaro se pronunciou em suas redes sociais, afirmando que não tem nada a esconder. No post, o senador chama a emissora de “Globolixo” e afirma que parte da imprensa “inventa narrativas criminosas” para manchar a sua imagem e a do seu pai.

Publicidade

“Acabo de ganhar liminar impedindo a #globolixo de publicar qualquer documento do meu procedimento sigiloso. Não tenho nada a esconder e expliquei tudo nos autos”, afirmou Flávio.

Publicidade

Publicidade

Nos últimos meses, a Globo tem realizado uma cobertura detalhada acerca das investigações sobre o filho do presidente em um suposto envolvimento em um esquema de “rachadinha” quando o filho “Zero Um” do presidente era deputado estadual.

Sem resposta

Até o fechamento desta matéria, o Grupo Globo ainda não havia se pronunciado sobre a proibição e acerca das declarações de Flávio Bolsonaro.

Em nota, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) teceu duros comentários sobre a decisão do Tribunal de Justiça do Rio, classificando o ato como censura e feridor da liberdade de imprensa. Horas depois de a liminar de Flávio ser aceita, inúmeros jornalistas se manifestaram nas redes, se posicionando contra a liminar estabelecida, internautas também repercutiram fortemente o assunto.

Nos últimos meses, os telejornais da Globo e GloboNews fazem cobertura detalhada das investigações do suposto esquema de ‘rachadinha’ com o salário de assessores no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio, durante o mandato dele como deputado estadual.

Publicidade
Publicidade