in

Presidente do Conselho de Ética classifica caso de Flordelis como ‘gravíssimo’; futuro da deputada é revelado

Veja Abril/Divulgação

O caso de deputada federal Flordelis segue com desdobramentos após a denúncia do Ministério Público. A pastora foi apontada pelo órgão como a mandante do assassinato de Anderson do Carmo. Até o momento, Flordelis se encontra em liberdade devido ao foro privilegiado inerente à sua função.

Publicidade

De acordo com o site UOL, nesta segunda-feira (31), o presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Juscelino Filho (DEM-MA), declarou que o caso de Flordelis é “gravíssimo” e afirmou que caso a denúncia chegue à comissão, esta será analisada o mais rápido possível por seus representantes.

Juscelino Filho disse, ainda, que devido ao impacto do crime na sociedade, a questão terá prioridade de análise no Conselho. Sobre o futuro da deputada, o presidente afirmou que o trâmite da cassação do mandato de Flordelis poderá ser encurtado caso o Judiciário acione a Câmara dos Deputados de forma direta.

Publicidade

Momento de excepcionalidades, e estamos diante de um caso gravíssimo, no qual a imunidade parlamentar processual tem entendido que a justiça tome medidas mais duras neste caso da deputada. O mandato tem influenciado neste ponto”, disse Juscelino se referindo ao foro privilegiado de Flordelis.

Publicidade

Caso perca o mandato como deputada federal, Flordelis poderá ser presa preventivamente enquanto as investigações seguem seu curso. Na semana passada, a deputada enviou uma mensagem à bancada feminina da Câmara dos Deputados pedindo ajuda para que seu mandato não seja cassado. Flordelis garantiu, ainda, que as colegas não se arrependeriam de ajudá-la.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade