in

A punição de Flordelis após ser acusada de mandar matar o marido; deputada tem 5 dias para se pronunciar

UOL

Investigada pela morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, Flordelis foi acusada na operação Lucas 12 como a mandante do homicídio e estava exercendo seu ofício como deputada, até um comunicado ser divulgado nesta terça-feira (25).

Publicidade

Com o suposto envolvimento de Flordelis no crime, o Partido Social Democrático (PSD) ao qual a pastora é associada emitiu uma nota em que afirma que a deputada está suspensa de suas atividades partidárias pelo estado do Rio de Janeiro e anunciou que a deputada foi notificada. 


“Diante do indiciamento da parlamentar, o corpo jurídico do partido adotará as medidas para a suspensão imediata de sua filiação”
, informou o comunicado, fazendo referência à deputada. O partido ainda disse que a partir dos desdobramentos das investigações perante a Justiça, medidas serão tomadas para que Flordelis seja expulsa do quadro de parlamentares. 

Publicidade

A punição à Flordelis foi assinada pela assessoria jurídica do PSD e o documento foi devidamente enviado ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, para que tome conhecimento da decisão anunciada pelo partido. A deputada também recebeu o comunicado e terá cinco dias para se pronunciar a respeito da medida tomada pelo PSD. 

Publicidade

Flordelis, que foi surpreendida pela operação Lucas 12 em sua residência, na manhã da última segunda-feira (24), não foi detida por ter imunidade parlamentar; em contrapartida, filhos e neta da deputada acabaram presos. 

Publicidade

Dois filhos de Flordelis já estão detidos desde o ano passado, quando aconteceu o assassinato do Pastor Anderson do Carmo, e respondem por participação no crime.

Publicidade
Publicidade
Publicidade