in

Ao vivo no Jornal Nacional, Renata Vasconcellos lamenta morte: ‘Atriz e jornalista’

A Rede Globo, através do Jornal Nacional e de sua âncora Renata Vasconcellos, noticiaram e homenagearam a atriz Xênia Bier, ela também atuou como jornalista e é reconhecida como uma das pioneiras líderes feministas do país.

Publicidade

Xênia Bier faleceu nesta segunda-feira (24), aos 84 anos, em decorrência de complicações provocadas por uma doença que ela lutava há algum tempo, o Alzheimer. Após sofrer uma queda na pressão pulmonar, Xênia foi internada, onde ficou por 15 dias em tratamento, mas não resistiu.

Renata Vasconcellos e a Rede Globo mostram pioneirismo como feminista

Xênia foi a primeira mulher a liderar programas de rádio e TV no Brasil, com passagem pelas principais emissoras do país, Band, Cultura, Gazeta e a própria Rede Globo.

Publicidade

Xênia era o nome artístico da atriz e jornalista, cujo nome verdadeiro era Vilma. Paulistana, ela começou a carreira na década de 60, mais precisamente em 1965, na TV Cultura, onde atuou nas seguintes obras: “As Professorinhas”, “Escrava do Silêncio” e “O Moço Loiro”.

Publicidade

Já na principal emissora do país, Xênia Bier trabalhou no começo da década de 80, seus últimos trabalhos foram como colunista de revistas femininas como Ana Maria e M de Mulher.

Publicidade

Falando a respeito de si própria, Xênia Bier já teria dado a seguinte declaração: “Fui fichada como ‘cadela soviética’. Vocês têm que me respeitar, vocês não conhecem minha história”, neste contexto ela falava sobre a repressão por conta de ser considerada feminista.

Renata Vasconcellos e o Jornal Nacional fizeram uma singela homenagem relembrando bons momentos da atriz no principal telejornal do país, o Jornal Nacional.

Publicidade

Escrito por Evandro

O mundo do entretenimento é a minha vida.