in

Delegado que aponta Flordelis como mandante da morte do marido diz o que teria motivado crime: ‘ela planejou’

Rede Globo / Montagem Ghean Fernandes

Em junho de 2019, a morte do pastor Anderson do Carmo chamou a atenção na mídia e estampou os noticiários. Desde então, investigações começaram a ser feitas para desvendar o que teria motivado a assassinato do marido de Flordelis, que veio a óbito após ser atingido por 30 disparos de arma de fogo.

Publicidade

Nesta segunda-feira (24), a operação Lucas 12 acabou prendendo nove pessoas que teriam envolvimento na morte do pastor, e o delegado Antônio Ricardo Lima Nunes acabou apontando Flordelis como a suposta mandante do crime.

Em entrevista ao Bom Dia Rio, na manhã de hoje, o chefe do Departamento de Homicídios da Polícia Civil do Rio falou sobre a força-tarefa montada para solucionar o caso e relatou qual teria sido a motivação do assassinato do pastor.

Publicidade

Para o delegado, não restam dúvidas de que Flordelis teria mandado matar o marido por questões financeiras. “A investigação chegou a essa conclusão: que ela planejou esse assassinato covarde. Motivação é porque ela estava insatisfeita com a forma que o pastor Anderson tocava a vida e fazia a movimentação financeira da família”, disse Antônio Ricardo ao jornal da Rede Globo.

Publicidade

Allan Duarte, da Delegacia de Homicídios de Niterói, em entrevista ao G1, também confirmou a motivação que teria sido levantada pela operação Lucas 12. Segundo o delegado, Flordelis teria construído um enredo para se tornar deputada e formar sua igreja.

Publicidade

“Depois que ela alcançou esse objetivo principal de chegar à Câmara dos Deputados, ela colocou em prática esse plano criminoso”, concluiu Allan Duarte. Flordelis, que chorou ao ser surpreendida pela polícia em sua residência, não pôde ser presa devido à imunidade parlamentar.

Publicidade