in

Tudo por audiência? BBB entra na mira do Ministério da Justiça por drogas e obscenidade

Reprodução/ TV

Mais de três meses após a final da 20ª edição do BBB, o programa voltou a ser comentado nas redes sociais. O motivo é que o Ministério da Justiça e Segurança Pública expôs um relatório em que disserta sobre os acontecimentos do reality, evidenciando referências de drogas lícitas, apelo sexual, linguagem chula ou obscenidade.

Publicidade

Uma das preocupações do MJSP é com a exposição de drogas durante o programa. No relatório, Babu Santana é apontado várias vezes por aparecer em cena com cigarros de nicotina.

Como apelo sexual, o analista considerou quando em frente ao espelho, as garotas dançam de forma sensual rebolando e também quando algumas participantes tomam banho juntas e passam sabão umas nas outras de forma provocante.

Publicidade

Já a situação em que Thelma Assis, campeã da edição, debateu com o participante Lucas Gallina chamando-o de “escroto” por não ter colaborado com estalecas para a compra de mercado da casa, foi classificada como linguagem imprópria. A discussão entre Bianca Andrade e Rafa Kalimann também foi ressaltada no relatório pelo palavrão usado por Bianca. Além dessas situações, também apontaram os comentários e atitudes machistas dos participantes do reality.

Publicidade

O relatório feito pelo MJSP foi desenvolvido com o propósito de verificar se era necessário a mudança da classificação indicativa do programa, porém foi concluído que não é preciso. O programa vai continuar como não recomendado para menores de 12 anos, devido ao conteúdo sexual, drogas lícitas e linguagem imprópria.

Publicidade
Publicidade
Publicidade