in

Repórter da Globo feita de refém surpreende ao revelar como controlou criminoso

Reprodução - TV Globo - Metrópoles

Após vivenciar momentos de tensão na tarde da última quarta-feira (10), na sede de jornalismo da TV Globo, a repórter Marina Araújo falou pela primeira vez sobre o ocorrido. Vítima da ação de um criminoso, a jornalista foi feita de refém por alguns minutos.

Publicidade

O invasor burlou o rígido sistema de segurança da sede da emissora no Rio de Janeiro, e exigir falar com a apresentadora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos. Marina teve uma faca apontada em seu abdômen enquanto a situação de dramaticidade não era controlada.

Em suas redes sociais, Marina Araújo agradeceu o apoio recebido, mas surpreendeu ao revelar sua calma diante do ocorrido, chegando até contar histórias para acalmar a situação.

Publicidade

Publicidade

“Agradeço imensamente pelas mensagens de solidariedade e carinho, depois do episódio de hoje. Me vi em uma situação limite, incontrolável, mas tentei manter a calma. Tive fé. Falei o que podia pra acalmar os ânimos. Contei histórias e deu certo. Ninguém se feriu”, afirmou Marina.

Renata Vasconcellos heroína

Com a chegada da polícia, a presença da jornalista Renata Vasconcellos foi solicitada. Aniversariante do dia, a apresentadora do Jornal Nacional foi determinantes para que o homem largasse e se entregasse aos policiais. O invasor não teve a sua identidade revelada.

Na web, vários internautas exaltaram Renata pela coragem, classificando-a como um heroína. Em nota, a própria Rede Globo de Televisão elogiou a apresentadora.

Em seus redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro prestou solidariedade à Marina Araújo, Renata e todos os envolvidos e condenou veementemente a ação do criminoso.

Publicidade
Publicidade