in

Jô Soares foi o último a entrevistar Raul Seixas e o primeiro a falar com os Mamonas; relembre

O humorista e apresentador faleceu durante a madrugada desta sexta-feira (05).

REPRODUÇÃO SBT

Faleceu na madrugada desta sexta-feira (05/08) o icônico diretor, escritor, ator, humorista e apresentador Jô Soares. O artista de 84 anos estava internado em São Paulo desde o último dia 28 de julho e ainda não teve a causa de sua morte divulgada.

Publicidade

Dono das madrugadas da TV Globo de 2000 a 2016, Jô Soares foi o precursor do formato talk show no Brasil. O artista, no entanto, teve a ideia ainda na década de 80, quando fazia sucesso com o programa humorístico Viva o Gordo. A cúpula da Globo, no entanto, não aprovou o projeto e Jô se mudou para o SBT, onde pode emplacar o Jô Soares Onze e Meia.

Juntando o tempo que ficou no ar com o Jô Soares Onze e Meia e com o Programa do Jô, o apresentador fez mais de 14 mil entrevistas em 28 anos. Algumas dessas entrevistas se tornaram icônicas, como a do cantor Raul Seixas.

Publicidade

A entrevista de Raul Seixas em julho de 1989 no Jô Soares Onze e Meia se tornou histórica por ser a última do roqueiro, que faleceu no dia 21 de agosto daquele mesmo ano, ou seja, um mês depois de falar com Jô. No bate-papo, Raul Seixas esteve acompanhado do também roqueiro Marcelo Nova, com quem fazia uma turnê e estava lançando o disco “A Panela do Diabo”.

Publicidade

Raul Seixas já estava debilitado na entrevista que você pode ver acima, mas divertiu o apresentador ao relembrar histórias de quando comeu lixo na cidade de Nova Iorque.

Publicidade

Outra entrevista que se tornou especial foi com o grupo Mamonas Assassinas, que ainda não tinham lançado o disco que estourou em todo o país. Na ocasião, Dinho e sua turma apareceram vestidos de Chapolin Colorado.

O Programa do Jô foi extinto no final de 2016 e sua última entrevista foi com o escritor Ziraldo.

Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com