in

Atuando como pastor, Guilherme de Pádua comenta documentário sobre Daniella Perez e ameaça: ‘Podem aguardar’

O ex-ator foi condenado a 19 anos de prisão pelo assassinato de Daniella Perez.

METRÓPOLES | HBO MAX

O documentário Pacto Brutal, que estreou na HBO Max na última quinta-feira (21), ganhou uma enorme repercussão na web. O projeto narra detalhes sobre o assassinato de Daniella Perez, em dezembro de 1992. A atriz era filha de Glória Perez, autora de novelas. Ela teve a vida ceifada por Guilherme de Pádua e a então esposa, Paula Tomás.

Publicidade

Guilherme e Daniella atuavam na novela De Corpo e Alma, escrita por Glória. Na trama, Bira e Yasmin, personagens interpretados pelos atores, chegavam a viver um romance. Segundo as investigações, Guilherme de Pádua passou a pressionar Daniella após seu personagem perder destaque na trama.

O ator queria que a atriz conversasse com a mãe a respeito de seu papel. Em dezembro de 1992, Daniella foi assassinada após deixar as gravações da novela. Após investigações, Guilherme e Paula Tomás foram presos e condenados pelo crime. O documentário exibido pela HBO Max não trará as versões dos acusados. Esta teria sido uma exigência de Glória Perez para autorizar o projeto.

Publicidade

De acordo com o site Metrópoles, Guilherme de Pádua usou as redes sociais para falar sobre o documentário. Atuando como pastor, o ex-ator afirmou que Pacto Brutal seria um projeto totalmente parcial, se baseando apenas na opinião da acusação.

Publicidade

Guilherme criticou a HBO e fez uma ameaça. “Podem aguardar que eu vou trazer algumas coisas. Não é pra dizer ‘acredite na minha versão’, mas pra você mesmo pensar, né?”, disse o ex-ator, que afirmou, ainda, que evidências do crime foram ocultadas dos telespectadores.

Publicidade
Publicidade