in

Com looks versáteis e preços acessíveis, Legging Brasil conquista o varejo nacional e projeta faturar R$ 7 mi

E-commerce criado há dois anos ganha espaço na Internet e trabalha para se tornar o maior canal de vendas de moda fitness do país.

Aline Campos (Foto Reprodução)

A Legging Brasil é considerada hoje um dos e-commerces mais promissores do Brasil. Com faturamento de R$ 7 milhões por mês e mais de 40 mil entregas mensais, a marca de moda fitness brasileira conquista seu sucesso no varejo digital a partir de investimento em tecnologia, produção própria, preços acessíveis e qualidade.

Publicidade

O objetivo do proprietário da Legging Brasil, Marcos Sartor, de apenas 24 anos, é transformar o conceito da sua marca em uma “nova Havaianas”, famosa marca brasileira de chinelos. “Trabalhamos para democratizar a moda no Brasil oferecendo um produto com o melhor custo-benefício. Queremos ajudar a mulher brasileira a ter acesso a uma legging versátil por um preço baixo que cabe no bolso e serve para qualquer ocasião, seja sair, trabalhar ou treinar. Sem gastar muito, a Legging Brasil oferece a possibilidade de renovar o guarda-roupa com vários looks versáteis”, pontuou.

O jovem empresário destaca a tecnologia própria empregada no processo de produção das peças, sendo essa mais uma vantagem em relação a outros produtos, já que garante zero transparência, alta performance e conforto. “Além da qualidade, nossas leggings são desenvolvidas para que a mulher consiga inseri-las em qualquer momento do seu dia, sem insegurança na hora de fazer um agachamento no treino e também sendo fáceis de combinar com o look do trabalho”, acrescentou.

Publicidade

Para Sartor, o sucesso da Legging Brasil e os bons resultados se devem ainda ao marketing digital, que hoje faz com que mais de 410 mil pessoas sigam o perfil do e-commerce nas redes sociais e os stories tenham mais de 40 mil visualizações diárias.

Publicidade

Publicidade

Trajetória

Sartor, que sempre teve como foco em sua vida se tornar um empreendedor de sucesso, iniciou sua carreira profissional como programador. Após vender sua primeira empresa aos 18 anos, o jovem decidiu investir no mercado imobiliário, começando ali o seu caminho para a criação do que ele afirma ser o maior e-commerce do Brasil em breve.

“Após perceber uma lacuna nos preços do mercado fitness, e entendendo o produto Legging como produto tanto fitness como para o dia a dia, para todos os momentos, criamos com muita tecnologia e uma boa engenharia industrial preços que trazem o melhor custo beneficio do mercado. Ali iniciaria uma longa história entre um pequeno estoque, que inicialmente era na minha kitnet, a uma empresa com mais de R$ 7 milhões de faturamento por mês”.

Publicidade