in

Antonia Fontenelle é detonada por expor atriz que deu bebê para adoção, mas não volta atrás: ‘É crime sim’

A polêmica em torno de Klara Castanho tomou conta das redes sociais nesse final de semana.

REPRODUÇÃO INSTAGRAM

A atriz Antonia Fontenelle está no centro de uma nova polêmica nas redes sociais, após ter exposto em uma live de seu canal do YouTube a história de uma atriz jovem, da TV Globo, que teria engravidado e entregue o bebê para a adoção logo após o parto. Após as revelações de Fontenelle, alguns internautas ligaram os pontos e descobriram que a atriz em questão é Klara Castanho, de 21 anos.

Publicidade

Decorrida a polêmica, Klara Castanho veio a público e escreveu uma carta,revelando que foi ela mesma a atriz citada por Fontenelle. Em um desabafo emocionante, Klara afirmou que foi abusada, mas não denunciou o crime por medo e por culpa. Ela achou que tocar sua vida normalmente faria com que ela pudesse esquecer esse trauma. Contudo, Klara descobriu que estava grávida do abusador já no final da gestação. Ela teve o bebê e resolveu entregar par adoção. Já no hospital, Klara sofreu ameaças de que sua história poderia ser repassada para o colunista Leo Dias, o que realmente ocorreu.

Leo Dias resolveu não publicar a notícia, mas contou a história para sua amiga Antonia Fontenelle, que passou a ser detonada na web após Klara Castanho contar a sua versão dos fatos.

Publicidade

Apesar ser detonada nas redes sociais, Antonia Fontenelle não voltou atrás. Antes da carta aberta de Klara Castanho, a apresentadora se defendeu,  dizendo que não citou nomes e que apenas contou uma história revelada a ela: “Meus B.Os eu assumo, meus filhos também”.

Publicidade

Fontenelle, que será candidata a deputada nas próximas eleições, foi além e disse que a atitude da atriz global foi um crime: “Parir uma criança e não querer ver e mandar desovar pro acaso é crime sim… O nome disso é abandono de incapaz”.

Publicidade

Vale destacar que a entrega para adoção é amparada pela lei. Klara Castanho explicou que todo o processo foi acompanhado por uma advogada e sua decisão quis resguardar o bebê, que nunca precisará saber ter sido resultado de um crime e será criado por uma família amorosa e sem traumas.

Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com