in

Bebel de A Grande Família está com esclerose múltipla e faz tratamento com cannabis; especialista explica

Guta Stresser, a Bebel de A Grande Família, divulgou que desenvolveu esclerose múltipla e como é o tratamento.

Reprodução/Instagram/Marcelo Brandt/G1

A atriz Guta Stresser, que deu vida por anos a Bebel, de A Grande Família, da Globo, divulgou para seus fãs e seguidores que desenvolveu a esclerose múltipla. Na ocasião, a atriz disse que sabe que conviverá com a doença para o resto da vida e que a cada dia que passa, sente um gosto de vitória.

Publicidade

A intérprete da filha de Seu Lineu e Dona Nenê contou que os primeiros sinais da patologia surgiram quando ela participou da Dança dos Famosos, na época comandado por Faustão, no ano de 2020. Durante os ensaios, notou que esquecia as coreografias, mas não levou os sintomas a sério.

Guta Stresser, a Bebel, tem esclerose múltipla

A condição da doença, infelizmente não tem cura, além disso, os sintomas começam a complicar a vida e o bem-estar físico e mental do paciente. Fadiga, problemas de memória, alterações de humor, espasmos, entre outros, se tornam frequentes e tendem a se agravar.

Publicidade

Um dos tratamentos para a doença é o canabidiol (CBD), uma substância que pode ser obtida na cannabis. Essa é uma das alternativas que a atriz encontrou para reduzir o impacto da esclerose e melhorar a sua qualidade de vida.

Publicidade

Cannabis no tratamento da esclerose múltipla

Na planta podem ser encontrados mais de 100 fitocanabinoides, compostos que podem se conectar no sistema endonacanabinoide do corpo humano, apresentando assim efeitos terapêuticos. O CDB está presente em uma dessas substâncias, o qual tem poder anti-inflamatório.

Publicidade

“O CBD é potencialmente benéfico porque ele tem uma ação anti-inflamatória e também uma ação contra a dor. Esses são os principais alvos no caso da esclerose múltipla”, disse o médico e neurocientista Rogério Panizzutti em entrevista concedida ao G1. O especialista pontuou que a esclerose não tem cura, mas que há compostos que podem aliviar o efeito cascata do evento inflamatório.

Publicidade

Escrito por Nado C.

Sou formado em Sistemas de Informação com pós-graduação em Gerenciamento de Projetos em T.I. Além de atuar como programador há 10 anos, trabalho também como redator há cerca de 4 anos, o que fez despertar uma nova paixão e hoje também sou graduado em Letras - Português e Inglês. Escrevo sobre tudo o que envolve o mundo do entretenimento, além de falar sobre esportes e as principais notícias do dia a dia. Pode entrar em contato comigo através do e-mail nado_news@hotmail.com .