in

Corpo tomado por câncer e sedação pelas fortes dores: a verdade que não te contaram sobre óbito de Seu Madruga

Ramón Valdés tinha um grande vício em cigarros e perdeu a vida precocemente aos 64 anos.

Chaves/Reprodução

Querido por brasileiros, mexicanos e latinos em geral, Ramón Valdés, eternizado como o intérprete do personagem Seu Madruga (Don Ramón, na versão original) de Chaves, perdeu a vida em 9 de agosto de 1988, com apenas 64 anos de idade. O artista foi vítima de um câncer que se iniciou nos pulmões, espalhando-se rapidamente pelo estômago e medula.

Publicidade

Quando iniciou a parceria com Roberto Gómez Bolaños, Ramón Valdés já havia participado de mais de 40 filmes, sendo uma grande celebridade durante a era de ouro do cinema mexicano. A dupla se encontrou no programa Super Gênios da Mesa Quadrada em 1968, trabalhando em várias outras produções de Chespirito.

Em 1981, quando Bolaños oficializou o seu matrimônio com Florinda Meza (Dona Florinda em Chaves), Valdés deixou a parceria para se dedicar à família. Porém, pouco tempo depois, decidiu voltar, protagonizando a icônica cena do reencontro com a personagem Chiquinha no seriado.

Publicidade

Poucos sabem, mas a última viagem do ator ocorreu três dias antes do seu óbito. Ramón Valdés foi fotografado no Aeroporto de Lima, no Peru, magro, abatido e com dificuldade para andar. O artista fumava uma grande quantidade de cigarros diariamente, recebendo o diagnóstico de câncer em 1985, restando necessária a realização de uma cirurgia para reduzir o órgão a um terço do tamanho natural.

Publicidade

Mesmo com a operação, Ramón Valdés continuava fumando, incluindo nas gravações dos programas, desrespeitando, inclusive, um decreto da Televisa, que vetava o tabagismo por parte dos funcionários nas dependências dos estúdios.

Publicidade

Teorias sobre a saída do seriado Chaves

Existem duas versões indicando o motivo da saída de Valdés do seriado. A primeira insinua que tenha sido em solidariedade a Carlos Villagrán, o Kiko, que também havia deixado o seriado. Outra história, contada por seu neto, Miguel Valdés, indica que o ator deixou o programa para evitar atritos com Florinda Meza, que assumia o comando da atração, passando a interferir em seu conteúdo.

Em seguida, Valdés foi para a Venezuela, onde gravou a série Frederico ao lado de Villagrán. Os índices de audiência, porém, foram péssimos, razão pela qual participou apenas da primeira temporada. Em 1987, atuou novamente com o colega ator em Ah, que Kiko!, cuja última participação foi gravada em um cemitério, já bastante debilitado.

Carlos Villagrán sempre diz que ele jamais parou de fazer piadas. Na última conversa com o amigo, disse que os dois se encontrariam. “Lá em cima?”, perguntou o intérprete de Quico. “Não, besta, lá embaixo”, rebateu Valdés. “Abaixo te espero!”, brincou.

Embora fosse alvo de piadas por conta de sua aparência, sendo chamado por Chaves de “chimpanzé reumático”, Ramón Valdés era, na verdade, um galã mexicano. O ator chegava a declarar que, depois dos cigarros, seu maior vício eram as mulheres, casando-se três vezes e tendo 10 filhos.

Nos últimos dias de sua vida, Ramón Valdés precisou ser sedado por conta das fortes dores provenientes do câncer. Seu óbito foi constatado no Hospital Santa Elena, na Cidade do México.

Publicidade

Escrito por Henrique Furtado

Henrique Furtado é um redator com vasta experiência no jornalismo online. Solidificou sua carreira com coberturas marcantes sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo ao longo da última década. Suas especialidades englobam desde os bastidores da política, versando por esportes, atualidades e, claro, tudo o que acontece no mundo dos famosos. Está sempre ligado para entregar, em primeira mão, as últimas novidades para os seus leitores, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Contato: henriquefurtado.jornalista@gmail.com