in

Em meio a investigações, polêmicas e choro, Gusttavo Lima é condenado pela Justiça de SP por uma música

O cantor sertanejo passa por um momento difícil em sua vida profissional.

REPRODUÇÃO CARTA CAPITAL/Instagram Gusttavo Lima/Montagem

As últimas semanas não foram nada fáceis para o cantor Gusttavo Lima. O artista tem sido alvo de investigações a respeito de alguns de seus shows, contratados com verba pública. Em um dos casos, que está sendo investigado pelo Ministério Público do Estado de Roraima, um show do cantor foi contratado pela prefeitura de São Luiz (RR), por um cachê fixado em R$ 800 mil. O município tem apenas 8.232 habitantes, segundo dados do IBGE.

Publicidade

Na última segunda-feira (30/05), o artista fez um desabafo em forma de live no Instagram e chegou a chorar ao se defender das acusações de se aproveitar de dinheiro público. Em um dos trechos do vídeo, Gusttavo Lima afirmou que está pensando até em jogar a toalha e parar de fazer shows.

Em meio a todas essas polêmicas, que começaram semanas atrás, após Zé Neto criticar a lei Rouanet e ironizar uma tatuagem feita pela cantora Anitta, Gusttavo Lima ganhou mais um problema envolvendo a Justiça.

Publicidade

O artista foi condenado pela Justiça de São Paulo em um processo que envolve a música “Bloqueado”. Nela, Gusttavo Lima cita um número de celular que existe de verdade, e sua proprietária deve receber do cantor uma indenização de R$ 50 mil.

Publicidade

A proprietária do número do celular entrou na Justiça após sofrer perturbações e trotes dos fãs do artista, que chegaram a gravar um vídeo para as redes sociais, pedindo para que as pessoas ligassem e mandassem mensagens para o número existente na música.

Publicidade

Até dezembro do ano passado, só no YouTube, a música Bloqueado teve cerca de 12,8 milhões de visualizações.

Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com