in

Jornalista dispara contra Globo e impacta ao revelar mágoa após saída: ‘Fizeram para me machucar’

Uchôa esteve na emissora carioca por 34 anos e foi desligado neste ano.

Reprodução: YouTube / Inteligência Ltda

Jornalista com ampla bagagem na TV Globo, o repórter Marcos Uchôa marcou época em várias coberturas com a emissora carioca, seja na área esportiva, com Copas do Mundo e Olimpíadas, ou como correspondente em conflitos de guerra. Depois de várias décadas de serviços prestados, o profissional não teve o seu contrato renovado e foi mais um na “leva” que deixou a empresa dos Marinhos. 

Publicidade

Em entrevista ao podcast “Inteligência Limitada”, Uchôa revelou, para o apresentador Rogério Vilela, um episódio que se deu há sete anos, quando a emissora estava completando 50 anos, e disse que a situação marcou um sentimento negativo para ele, que mesmo diante de tanto tempo de trabalho, não foi convidado para participar.  

“Não queria que tirassem ninguém dali. Agora, acho que eu não ter sido convidado foi um problema pessoal de quem estava escolhendo. Aquilo foi para me machucar, e me machucou”, desabafou o jornalista, que revelou estar em viagem, mas garantiu que se fosse convidado, não hesitaria em remarcar o outro compromisso.

Publicidade

No especial mencionado por Uchôa, a Globo convidou nomes como Caco Barcellos, Chico José, Fátima Bernardes, Galvão Bueno, Tino Marcos, Heraldo Pereira, entre outros nomes expoentes do jornalismo na emissora. 

Publicidade

Bolsonaro e Globo

Ainda na conversa com Vilela, Uchôa atrelou a onda de demissões na emissora carioca ao modelo de contratação fixado pelo governo de Jair Bolsonaro. Segundo o jornalista, o sistema das leis trabalhistas modificado impulsionou com que a Globo começasse a repensar sobre o seu quadro de funcionários. 

Publicidade

Para Uchôa, o cenário de explosão das mídias digitais também impactou na crise financeira vivenciada pela emissora.

Publicidade