in

Vera Fischer expõe detalhes de assédios que sofreu de diretor da Globo: ‘chora, sua loira burra’

Em sua participação no talk-show Conversa com Bial, a atriz expôs situações pela qual passou em sua carreira e revelou o principal nome envolvido.

reprodução: lux / gshow - fotomontagem por manuella

Em participação no programa “Conversa com Bial”, talk-show comandado pelo apresentador Pedro Bial e exibido nas telas da Rede Globo de Televisão, na última sexta-feira (20), a atriz Vera Fischer desabafou sobre abusos sofridos à época do auge de sua carreira.

Publicidade

Na ocasião, a atriz contou que, além de assédio sexual, foi vítima de assédio moral por parte, principalmente, de um diretor da Globo.

De acordo com a artista, ela assistiu a diversos episódios de “cantadas” direcionadas a ela. Entretanto, aprendeu a se safar e dar desculpas quando essas situações aconteciam.

Publicidade

Tratamento das atrizes em 1970

Publicidade

Quando questionada, por Bial, sobre o tratamento que recebia na década de 70 durante as gravações das quais participava, Vera comentou que, no contexto, a atitude de diretores de gritarem com as atrizes era “bonita”. Entretanto, a atriz declarou que, desde a primeira novela, aprendeu a se impor.

Publicidade

No entanto, mesmo com sua atitude de imposição, Vera não conseguiu se privar de sofrer assédio. O principal nome envolvido na questão era o do diretor Walter Avancini, responsável pela telenovela “Sinal de Alerta”.

“Ele dizia assim: ‘Chora, sua loira burra, sua loira alemã que não sente nada, que não sabe chorar’”, declarou a atriz.

Respostas de Vera

Ainda de acordo com Vera, o restante da equipe ficava espantado com sua postura de desafiar seus chefes. A artista confessou que, como resposta ao tratamento agressivo do diretor, oferecia: “Venha aqui me ensinar como é que faz, qual é o botão que liga”.

Publicidade