in

No Fantástico, Isabela Tibcherani fala sobre Paulo Cupertino e comove ao relatar drama pessoal: ‘Não é fácil’

O caso voltou a gerar repercussão na mídia com a prisão do acusado de ter cometido o crime.

Reprodução: G1/NotíciasdaTV

O programa Fantástico apresentou detalhes sobre o caso Rafael Miguel neste último domingo, 22 de maio. A morte do ator de Chiquititas voltou a repercutir na mídia após a prisão do acusado de ter cometido o assassinato do ator e dos seus pais em 2019. O crime aconteceu em São Paulo.

Publicidade

Paulo Cupertino ficou foragido por três anos e, após ser preso, alegou ser inocente, porém a polícia não tem nenhuma dúvida em relação ao crime. Durante a audiência, o acusado disse não ser bandido. Contudo, não existe probabilidade de ser outra pessoa, pois a testemunha principal do assassinato do ator Rafael Miguel e seus pais é a própria filha do acusado.

A jovem Isabela Tibcherani, que era namorado do ator Rafael Miguel, é a testemunha principal do assassinato. Ao ser questionada se está preparada para testemunhar contra o próprio pai, a jovem disse que não, mas está totalmente disponível e disposta quando for necessário.

Publicidade

Relembre o caso Rafael Miguel

O assassinato do ator de Chiquititas e de seus pais ocorreu no dia 9 de junho de 2019. Na ocasião, Isabela Tibcherani tinha 18 anos e estava em um carro com o rapaz e os pais, Miriam e João. Quando eles chegaram na casa onde a garota morava, Paulo Cupertino teria surgido e atirado em Rafael e nos pais. Para os investigadores e para o Ministério Público, o homem era contra o namoro.

Publicidade

Isabela Tibcherani desabafa sobre ser filha de Paulo Cupertino

De acordo com a delegada Ivalda Aleixo, o acusado era extremamente obcecado pela filha e tinha muito ciúmes. Ela ressaltou ainda que Cupertino era controlador e não deixava a jovem viver. Isabela Tibcherani foi questionada pelo repórter se o pai a procurou nesse período em que esteve foragido. A jovem disse que não foi procurada em nenhum momento. “Não é fácil ser filha de um assassino. Não é fácil carregar o peso de ter o nome de uma pessoa que cometeu um dos maiores crimes nacionais”, desabafou.

Publicidade

Quando alguém pergunta sobre o pai, ela simplesmente diz que não tem e que seria bom se o homem nem existisse.

Publicidade