in

Cefaleia refratária: especialista explica diagnóstico de Virgínia Fonseca e diz se há risco para o bebê

A influenciadora está grávida do segundo filho e precisou ser internada por causa de dor de cabeça intensa.

(Reprodução/Instagram)

A influenciadora digital Virgínia Fonseca foi diagnosticada com cefaleia refratária. Já fazia alguns dias que a esposa do cantor sertanejo Zé Felipe se queixava com os seguidores sobre os incômodos causados por uma dor de cabeça persistente. O que ninguém imaginava era que a influencer fosse parar no hospital por causa da condição.

Publicidade

Virgínia está internada desde o último domingo, 15 de maio, em São Paulo. Ela já havia passado mal no sábado durante uma viagem que fez para acompanhar o marido até a capital mineira, Belo Horizonte, sendo necessário buscar ajuda médica em um hospital da cidade devido a fortes dores.

Boletim médico explica estado de Virgínia Fonseca

Conforme o boletim médico do Hospital Vila Nova Star, a influenciadora está com cefaleia refratária. O tratamento tem sido feito através de medicamentos aplicados pela veia com o objetivo de controlar a dor. Ainda conforme o comunicado, a gestação transcorre normalmente.

Publicidade

Especialista fala sobre diagnóstico de Virgínia

O portal de notícias Quem procurou o especialista no assunto, o Doutor Wanderley Cerqueira, médico neurologista do Hospital Albert Einstein, para dar detalhes sobre o problema de saúde da influenciadora. “Trata-se da dor de cabeça comum, porém constante, que possui um difícil tratamento e que não responde a qualquer medicamento”, explicou.

Publicidade

No caso da influenciadora digital, o diagnóstico é um pouco mais delicado pelo fato dela estar grávida. O tratamento precisa ser feito com cautela, pois a gestante não pode fazer uso de qualquer remédio. Não há riscos para o bebê desde que haja cuidado no uso dos remédios para que não passe pela placenta e acabe atingindo a criança.

Publicidade

O profissional explica que a condição não é algo perigoso, desde que todos os exames necessários tenham sido realizados na paciente, descartando uma lesão estrutural, por exemplo. Além do uso da medicação, é indicado que a paciente faça repouso. O médico ressalta que a maior dificuldade é fazer a adaptação por causa da gravidez, pois o tratamento consiste justamente em ir testando as medicações até achar um que resolva a condição.

Publicidade