in

Leo Dias expõe que polícia viu contradições no depoimento do motorista de Rodrigo Mussi; ação é tomada

Segundo o jornalista Leo Dias, a polícia chamou o motorista para prestar novo depoimento após acidente de Rodrigo.

(Reprodução/TV Globo/Fotomontagem)

De acordo com apuração feita por Leo Dias, através de sua coluna no portal Metropoles, contradições foram percebidas no depoimento do motorista Kaique Reis, que dirigia o carro do acidente envolvendo o ex-BBB Rodrigo Mussi, atualmente em estado grave de saúde. 

Publicidade

A polícia decidiu chamar o motorista para novo depoimento, segundo o jornalista. O motorista, ao que tudo indica, será chamado à 51ª Delegacia de Polícia do Butantã, ainda nesta terça-feira (5), para esclarecer as contradições observadas no primeiro depoimento feito.

Contradições foram observadas, informa Leo Dias

O jornalista teve acesso ao boletim de ocorrência, registrado em delegacia após o acidente, e algumas contradições foram apontadas. Entre elas, a duração da corrida. De acordo com o documento, o motorista informou no depoimento que o serviço começou por volta das 1h30 da madrugada. 

Publicidade

Entretanto, o acidente ocorreu quase ao fim da madrugada, às 4h. Na versão do motorista, a corrida teria durado quase três horas. No entanto, há problemas no relato, visto que o destino apontado no aplicativo era a Rua Bela Cintra. Em horário de pico, o trajeto feito por Rodrigo Mussi duraria cerca de 30 minutos.

Publicidade

Ainda, segundo documento acessado por Leo Dias, há a contradição na identificação do ex-BBB no momento de entrada no hospital. Isso porque Rodrigo foi identificado como desconhecido, não sendo devidamente apontado pelo motorista, sendo que o mesmo tem acesso ao nome dos usuários do app de corrida.

Publicidade

Por fim, há o incômodo por parte dos familiares de Rodrigo Mussi, que foram informados pela perícia de que o celular do ex-BBB não foi encontrado pela perícia. O aparelho estava com Kaique Reis, que, de acordo com informações repassadas por Leo Dias, não atendeu as ligações dos familiares e, além disso, o smartphone ainda teria sido alvo de diversas tentativas de desbloqueio por parte do próprio motorista, mas sem sucesso.

Publicidade