in

Record TV está em busca de uma substituta para ocupar o posto deixado por Sabrina Sato

Lidi Lisboa é a mais cotada, mas Ana Hickmann e Ticiane Pinheiro também seguem na disputa.

Reprodução Record TV

A inesperada saída de Sabrina Sato da Record TV para se transferir para a Rede Globo surpreendeu a todos principalmente a alta cúpula da emissora, que  juntamente com o Rodrigo Carelli, diretor de realities, já está à procura de uma substituta, que reúna os requisitos necessários para ocupar a vaga deixada pela mulher de Duda Nagle, no comando do Ilha Record 2.

Publicidade

Entre os nomes que figuram para assumir o posto estão Ana Hickmann, Ticiane Pinheiro e Fabiana Oliveira, mas o mais cotado, até então, é o de Lidi Lisboa.

Além de ser bastante conceituada na Record TV, Lidi é a candidata que possui o maior apelo nas redes sociais e é a preferida dos jovens, que é o público alvo dos realities shows.

Publicidade

Após ganhar enorme projeção em 2020 quando participou de A Fazenda, Lidi passou a exercer a função de apresentadora da Cabine de Descompressão e Live do Eliminado, onde entrevistou de forma descontraída os candidatos que acabaram de deixar o confinamento em Power Couple Brasil e A Fazenda.

Publicidade

Caso o seu nome seja confirmado como a substituta de Sabrina Sato, Lidi Lisboa será a primeira mulher negra a comandar um reality show no Brasil.

Publicidade

Rodrigo Faro também esteve entre os candidatos, mas a Record TV optou por manter uma mulher à frente do Ilha Record 2, que tem estreia prevista para o próximo mês de junho.

Aos 37 anos, Lidi é paranaense e estreou na Rede Globo em 2001, onde integrou o elenco de importantes novelas como A Padroeira, Paraíso Tropical, Insensato Coração, Cheias de Charme e Império, entre outras.

Em 2016, foi contratada pela Record TV e atuou em Escrava Mãe, Belaventura, Segundo Sol, Jezebel, no papel de protagonista da trama, e mais recentemente esteve em Gênesis.

Após um relacionamento de cinco anos com o ator gaúcho Fábio Rhoden, que terminou em 2020, Lidi Lisboa permanece solteira.

    

Publicidade