in

Influenciadora publica vídeo criticando música de Anitta: ‘vergonha de ser brasileira’

A influenciadora repreendeu feministas que comentaram a conquista da música de Anitta nas redes sociais.

REPRODUÇÃO/ INSTAGRAM

Depois que a cantora Anitta liderou a lista de músicas mais tocadas do aplicativo Spotify com sua música Envolver, a influenciadora Nanda Schimdt criticou a música e a performance da cantora no clipe. Em sua rede social, ela repreendeu as feministas por acharem que a música traz empoderamento às mulheres brasileiras.

Publicidade

Segundo a influenciadora, as cenas do clipe Envolver mostram apenas a sensualidade de Anita. Nanda questionou o motivo de estarem comemorando o que ela chamou de “porcaria” que conquistou o primeiro lugar. “O que eu mais vi foram feministas tuitando, ‘nossa o Brasil venceu, as mulheres venceram’. Primeiro que essa música não é nem cantada em português. Segundo, como que as mulheres vão vencer o patriarcado se a Anitta ficou sensualizando o negócio todo?”, expressou. 

Publicidade

Nanda Schmidt também disse ter vergonha de ser brasileira depois que a música chegou ao topo das paradas do Spotify. Ao ver o clipe, concluiu que é basicamente Anitta se insinuando para um homem e satisfazendo ele. “Que empoderamento é esse, mulheres? Enquanto vocês estão achando o máximo o Brasil estar lá, em primeiro lugar, por conta dessa música, eu estou morrendo de vergonha de ser brasileira numa hora dessas”, desabafou a influenciadora.

Publicidade

A música de Anitta deixou a liderança do Top Global do Spotify nesta segunda-feira (28). Nos três dias desde a última quinta-feira (24), a música Envolver foi aclamada como a música mais tocada do planeta. Segundo a plataforma, as reproduções de outras faixas da cantora brasileira aumentaram 40% nesse período.

Publicidade

A música em espanhol, que virou fenômeno digital depois que a coreografia do clipe viralizou nas redes sociais, ultrapassou a banda britânica Glass Animals, que agora voltou no topo do ranking com a mesma faixa.

Publicidade