in

Ana Maria Braga é vítima de erro cometido por órgão municipal e tem seu nome associado a escândalo

A comunicadora recebeu uma execução de penhora por falta de pagamentos de impostos de um imóvel; a situação desagradável não passou de um equívoco.

Rede Globo

O órgão da Prefeitura do Rio de Janeiro, que cuida do registro de imóveis, acabou cometendo um equívoco e registrou um imóvel errado no nome da apresentadora Ana Maria Braga. No entanto, a sala comercial não pertencia à comunicadora, que teve seu nome envolvido em um escândalo, pois o imóvel foi penhorado pela Justiça por falta de pagamentos de impostos.

Publicidade

De acordo com informações do portal Notícias da TV, havia um documento que ordenava a execução fiscal contra a artista, mas, devido ao erro dos órgãos municipais, a ação acabou sendo extinta.

Ainda segundo o portal, no início do ano o Cartório Eletrônico da 12ª Vara de Fazenda Pública proferiu uma ordem de execução de penhora para o suposto bem de Ana Maria Braga. O motivo da penhora do imóvel se deu porque o IPTU estava atrasado.

Publicidade

Por conta disso, a magistrada Katia Nascentes Torres sentenciou a venda do imóvel por falta de pagamento do imposto entre os anos de 2017 e 2020. A sala comercial está localizada em um prédio na Avenida Araguaia, no bairro Freguesia de Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Publicidade

Após a confusão, assessoria da apresentadora e os advogados que estavam cuidando do caso afirmaram que o imóvel nunca pertenceu à Ana Maria Braga. Eles ainda disseram que não sabem como aconteceu um erro desses, associando o nome da comunicadora a um escândalo desnecessário.

Publicidade

O verdadeiro dono do imóvel foi localizado e se chama Marcio Silva Paulo. A Prefeitura do Rio de Janeiro também se pronunciou e reconheceu que foi um erro do órgão municipal. “ A execução fiscal foi extinta em razão de o débito em questão não pertencer à Sra. Ana Maria Braga”, confirmou a Procuradoria Geral do Município.

Publicidade